Produção

Cafezais diminuem em 10,8% no Paraná para 41,1 mil hectares

A redução gradativa dos preços, aliada à necessidade de adotar melhor tecnologia de produção têm levado muitos produtores a diminuir a área cultivada

 

postado em 31/01/2018 | Há 3 semanas

31/01/2018

O relatório de campo de dezembro, elaborado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, mostra que a área cultivada com café no Estado teve uma redução de 10,8% em relação à safra passada, caindo para 41,1 mil hectares, da quais 92% estão em produção e 8% são de lavouras novas. Há dez anos os cafezais paranaense somavam 105.365 hectares.

O economista Paulo Sérgio Franzini explica que a redução gradativa dos preços recebidos durante os últimos doze meses, muitas vezes não cobrindo os custos de produção, aliada à necessidade de adotar melhor tecnologia de produção, principalmente mecanização e renovação das lavouras, têm levado muitos produtores a diminuir a área cultivada visando melhorar a eficiência e obter maior renda.

Segundo levantamento do Deral, a produção paranaense de café deve ficar entre 904 mil e 1,02 milhão de sacas para a próxima safra, que começa a ser colhida em meados deste a ano. A redução deve ficar entre 15,7% a 25,3% em comparação a quantidade de 1,21 milhão obtida em 2017. “Além do esperado ciclo de safra baixa, a redução da área cultivada contribui para acentuar a diminuição do volume esperado em 2018.”

Franzini lembra que nesta safra as primeiras floradas ocorreram em meados de agosto após um período de quarenta dias de estiagem, que segundo estimativas representou cerca de 30% do potencial produtivo para o próximo ano. Em seguida foram mais trinta dias de seca durante todo o mês de setembro, que induziu uma excelente florada na primeira quinzena de outubro com a chegada das chuvas, praticamente completando o potencial de produção para próxima safra uma vez que em novembro se registrou poucas floradas.

No relatório, o técnico observa que no geral as principais floradas se concentraram em dois momentos, principalmente em outubro, o que pode favorecer a uniformidade na formação e maturação dos frutos contribuindo para obtenção de melhor qualidade do produto final. “As condições climáticas observadas a partir de outubro, com chuvas acima da média em muitas regiões favorecem o bom desenvolvimento das lavouras e da produção que se encontra em fase de formação de frutos.”

Fonte : Globo Rural

 

Veja tambÉm: