Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ N.Y. fechou a terça-feira com leve baixa

A bolsa de N.Y. fechou a terça-feira com leve baixa, a posição dezembro oscilou entre a máxima de +0,25 pontos e mínima de -2,45 fechando com -0,85 pts.

 

postado em 07/11/2017 | Há 2 semanas

MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.  
Sul de Minas R$ 465,00 R$ 445,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 465,00 R$ 445,00 Dezembro/2017 124,70 -0,85
Alta Paulista/Paranaense R$ 455,00 R$ 435,00 Março/2018 128,20 -0,85
Cerrado R$ 470,00 R$ 450,00 Maio/2018 130,50 -0,85
Bahiano R$ 455,00 R$ 435,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Futuro 2018 - 6/7 15%cat R$ 475,00 R$ 465,00 Dezembro/2017 155,15 -0,85
Futuro 2019 - 6/7 15%cat R$ 535,00 R$ 525,00 Março/2018 159,45 -0,55
Dólar Comercial: R$ 3,2770      

O dólar comercial subiu 0,55%, cotado a R$ 3,2770. Investidores acompanham a agenda econômica do governo no Congresso, após o presidente Michel Temer admitir que a reforma da Previdência   pode não sair do papel.

A Organização Internacional do Café (OIC) elevou nesta terça-feira sua estimativa para a produção global da commodity na safra 2016/17 para um recorde de 157,4 milhões de sacas, impulsionada em grande por parte por uma revisão na colheita de arábica no México e na América Central. "O aumento significativo da produção no México e na América Central é em grande parte atribuído ao incremento de safra em Honduras, à recuperação após o surto de ferrugem na região e ao clima benéfico", informou a OIC em relatório. Anteriormente, a entidade estimava uma produção global de 153,9 milhões de sacas em 2016/17. A produção de café no México e na América Central foi projetada em 20,3 milhões de sacas, ante 17,7 milhões de sacas na previsão anterior, com alta de 16,3 por cento sobre a temporada passada. A produção global de arábica em 2016/17 foi revisada para 101,6 milhões de sacas, ante 97,3 milhões de sacas na estimativa anterior e alta de 14,7 por cento sobre 2015/16. Em relação ao robusta, a produção foi cortada levemente para 55,9 milhões de sacas, ante 56,6 milhões de sacas na previsão anterior e queda de 12,2 por cento na comparação com o ciclo passado. O aumento da produção de café deve levar a um superávit, com o consumo global previsto em 155,1 milhões de sacas, queda marginal de 0,3 por cento em relação ao ano anterior.   "Dado o aumento da produção global de café e um consumo estável, o ano de 2016/17 deve ter um superávit após dois anos consecutivos de déficit, com a produção excedendo o consumo em 2,38 milhões de sacas", disse a OIC. Fonte: Reuters via Notícias Agrícolas.

O crédito agrícola para financiamento do custeio da cafeicultura totalizou R$ 4,736 bilhões, em 2016, que foram repassados ao setor produtivo por meio de 72.634 contratos. No período de janeiro a setembro de 2017, essa linha de financiamento atingiu R$ 3,072 bilhões, com a celebração de 42.852 contratos de crédito agrícola. Essa modalidade de crédito, destinada ao custeio da safra de café, financia despesas normais do ciclo produtivo das lavouras, tais como tratos culturais e colheita, incluindo as despesas com aquisição de insumos, mão de obra, operações com máquinas e equipamentos, arruação, secagem, certificação de cafés, entre outras. Para matéria completa bem como o Sumário Executivo Café, da Secretaria de Política Agrícola referente ao mês de outubro de 2017 acessem https://goo.gl/ssoxNU . Fonte: Emprapa.

A illycaffè definiu os 40 cafeicultores finalistas do 27º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso. A Experimental Agrícola do Brasil, braço da illycaffè no país, analisou 683 amostras enviadas das principais regiões produtoras de café arábica de grãos da safra 2017/2018, o maior número dos últimos 10 anos de concurso. Para lista dos finalista acessem http://www.clubeilly.com.br/site/noticias/27-premio-ernesto-illy-finalistas-nacionais.html .


 
Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini

 

Veja tambÉm: