Tecnologias

BASF lança novo inseticida, Verismo, para o manejo da broca-do-café

O produto de ação rápida contribui para maior qualidade dos grãos e rentabilidade dos cafezais

 

postado em 07/11/2017 | Há 2 semanas

São Paulo, 7 de novembro de 2017 – O café é produzido em mais de 60 países, com uma produção anual em torno de 155 milhões de sacas. No mercado mundial, o Brasil é o maior produtor e exportador do produto, abastecendo 30% do consumo global.

Este ano, além da bienalidade negativa na maior parte do país, o clima e a incidência da broca-do-café podem exercer maior interferência na produção, exigindo dos cafeicultores atenção quanto à rentabilidade nas lavouras. Segundo dados da Conab, o estado de Minas Gerais, que produz a metade de todo o café brasileiro, obteve uma produção 20,7% menor em relação à safra passada.

A broca-do-café é considerada uma das pragas mais agressivas dos cafezais. O inseto provoca a perda de peso e interfere na qualidade dos grãos, impactando na produtividade e qualidade das lavouras. Dependendo do nível de infestação, os prejuízos podem chegar, em média, a 20% no peso do café beneficiado, o que corresponde a uma perda de até 150 reais por saca.

Para apoiar os cafeicultores no combate a esta relevante praga, a BASF lança o inseticida Verismo. “A BASF inova mais uma vez ao oferecer uma solução com um novo princípio ativo pertencente ao grupo químico semicarbazone para a cultura do café. Com uma tecnologia única no mercado, o inseticida Verismo apresenta alta eficiência de controle e ação rápida sobre o inseto, contribuindo para mais qualidade e rentabilidade nos cafezais”, afirma André Cruz, gerente de Marketing Café da BASF.

O produto surge como uma importante opção na rotação de ingredientes ativos para o manejo de resistência da broca-do-café e é indicado para o período de frutificação do cultivo, quando a praga atingir o nível de infestação entre 1% a 3% de frutos brocados.

“Para potencializar a eficiência de controle da praga nas lavouras é muito importante a adoção do manejo integrado de pragas. O cafeicultor deve estar alerta e se antecipar aos fatores que podem influenciar a redução da produtividade e qualidade nos grãos. A retirada dos frutos remanescentes da colheita anterior e o monitoramento, principalmente depois da florada, combinado à utilização de inseticidas de alta performance são imprescindíveis para evitar danos significativos nos cafezais”, completa André.

Além do Brasil, o inseticida Verismo também será disponibilizado, futuramente, para outros países produtores de café como Colômbia.

No café devese iniciar as aplicações foliares quando a cultura se encontrar em estágio de frutificação, repetir a aplicação sempre que houver reinfestação, não ultrapassando o limite máximo 02 aplicações durante o ciclo da cultura, respeitando o intervalo de 30 dias entre as aplicações e o período de carência. As aplicações não devem ser realizadas no período de floração da cultura.
 

Veja tambÉm: