Comércio

“Cafeicultor não se abala, é esperançoso”, afirma presidente da Cooxupé

No Dia Nacional do Café, celebrado em 24 de maio, Carlos Paulino fala sobre a cafeicultura

 

postado em 24/05/2017 | Há 5 meses

Crédito: Ricardo Dias

“Cafeicultor não se abala, é esperançoso”, afirma presidente da Cooxupé

No Dia Nacional do Café, celebrado em 24 de maio, o presidente da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé, Carlos Paulino, afirma que o produtor brasileiro poderia ter mais motivos para comemorar se os preços fossem mais condizentes com a realidade e com os fundamentos do mercado. Isto porque, segundo ele, o custo de produção tem acompanhado a inflação e crescido, e mesmo que os preços tenham mostrado recuperação nos últimos quatro anos, ainda não suprem as necessidades dos produtores.

Por outro lado, Paulino acredita que o consumo da bebida, as pesquisas que apontam o café como produto saudável e a importância da cultura para o Brasil são motivos que levam o produtor a comemorar a data. Para ele, o cafeicultor pode ser chamado de persistente e esperançoso. “A paixão move o trabalho do produtor. Mesmo com as crises que afetaram o nosso setor, os cafeicultores não deixaram de acreditar e não abandonaram a atividade cafeeira até os dias de bonança”, diz.

Sobre os próximos desafios do setor, Paulino destaca as mudanças climáticas e a necessidade dos produtores recorrerem às tecnologias para o campo. “A mecanização é uma realidade em que o cafeicultor precisa adotar para que sua atividade ganhe mais sustentabilidade”, destaca. O presidente ainda menciona a necessidade de políticas públicas mais adequadas para que o setor tenha mais competitividade.

Atualmente, a Cooxupé mantém mais de 13,4 mil cooperados nas regiões do Sul e Cerrado de Minas Gerais (maior estado produtor da commoditie brasileiro) e média mogiana do estado de São Paulo. Referência na cafeicultura brasileira, a cooperativa comemora em 2017 os seus 60 anos de atividades voltadas para o café e, também, 85 anos de cooperativismo regional. Representando 14,48% da produção nacional e 20,64% de Minas Gerais (considerando dados de 2016), a Cooxupé é hoje reconhecida mundialmente como uma empresa de credibilidade na comercialização de café de qualidade tipo arábica.

 

Veja tambÉm: