Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizaram a sexta-feira em alta

 

postado em 27/01/2017 | Há 4 meses

MERCADO INTERNO

 

BOLSAS N.Y. E B.M.F.

Sul de Minas

R$ 555,00

R$ 535,00

 

Contrato N.Y.

Fechamento

Variação

Mogiano

R$ 555,00

R$ 535,00

Março/2017

152,40

+0,95

Alta Paulista/Paranaense

R$ 545,00

R$ 525,00

Maio/2017

154,90

+0,95

Cerrado

R$ 560,00

R$ 540,00

Setembro/2017

159,45

+0,90

Bahiano

R$ 555,00

R$ 525,00

 

* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.

Contrato BMF

Fechamento

Variação

Futuro 2017 - 6/7-15%cat

R$ 570,00

R$ 560,00

Março/2017

183,50

+1,20

Futuro 2018 - 6/7-15%cat

R$ 620,00

R$ 610,00

Setembro/2017

192,20

+1,20

Dólar Comercial:

R$ 3,1520

Dezembro/2017

197,15

+1,25

As operações em N.Y. finalizaram a sexta-feira em alta, a posição março oscilou entre a mínima de -1,20 pontos e máxima de +1,95 fechando com +0,95 acumulando na semana -0,80 pts.

O dólar comercial fechou em queda de 0,9%, cotado a R$ 3,1520. Com isso, o dólar acumula baixa de 0,96% na semana. Na véspera, a moeda havia subido 0,28%. No cenário externo, o PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos cresceu a uma taxa anual de 1,9% no quarto trimestre, informou o Departamento de Comércio em sua primeira estimativa. O resultado representa uma forte desaceleração ante o ritmo de crescimento de 3,5% registrado no terceiro trimestre.

A Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura – Fenicafé de 2017 será realizada em Araguari, Minas Gerais, no Pica Pau Country Club, no período de 21 a 23 de março. Considerada a maior feira de irrigação e tecnologia da cadeia produtiva cafeeira, o evento tem por objetivos promover a discussão e a divulgação de conhecimentos, tecnologias, produtos e serviços relacionados à cafeicultura irrigada, seus avanços e desafios, além de estimular negócios e apontar demandas para novos estudos. A Fenicafé é promovida pela Associação dos Cafeicultores de Araguari - ACA, com apoio da Universidade de Uberaba – Uniube, Embrapa Café, Consórcio Pesquisa Café e Sociedade Brasileira de Engenharia Agrícola - SBEA. Espera-se a participação de um público aproximado de 20 mil pessoas vindas de mais de 100 cidades brasileiras nos três dias da Fenicafé. Com aproximadamente uma centena de expositores de produtos e serviços voltados ao setor, e volume de negócios superior a 30 milhões de reais, a feira é também excelente oportunidade de demonstração de modernas máquinas e implementos, que proporcionam a geração de novos e melhores negócios. Referência nacional e internacional para discussão do sistema de produção da cafeicultura irrigada, a Feira tem contribuído para a crescente adoção de avançadas tecnologias no Brasil. Assim, a Fenicafé realiza três grandes eventos: XIX Simpósio de Pesquisa de Cafeicultura Irrigada, XX Feira de Irrigação de Café do Brasil e XXII Encontro Nacional de Irrigação da Cafeicultura do Cerrado. Com relação especificamente à pesquisa cafeeira vale destacar o XIX Simpósio Brasileiro de Pesquisa em Cafeicultura Irrigada, realizado no dia 22 de março como parte da programação oficial da Fenicafé, o qual tem por objetivo promover a discussão e a divulgação de resultados de pesquisa e tecnologias com ênfase no uso mais eficiente da irrigação, visando ganhos significativos em produtividade e qualidade. Para tanto, os artigos técnico-científicos a serem apresentados e publicados nos Anais do Simpósio já podem ser enviados para publicação por meio da home­page do simpósio (www.fenicafe.com.br) até 13 de fevereiro. De acordo com o Gerente Geral da Embrapa Café, Gabriel Ferreira Bartholo, “as tecnologias de irrigação do cafeeiro permitem aumento da produção e produtividade, melhoria da qualidade e, ainda, redução de riscos decorrentes de eventuais adversidades hídricas, o que motivou aumento da área de café irrigado no Brasil verificado nas últimas duas décadas, especialmente no Cerrado”. Segundo ainda Bartholo, “o sistema de produção de café irrigado é altamente eficaz na adoção de tecnologias e de boas práticas agrícolas e de gestão, temas que são apresentados e discutidos durante a Fenicafé”. O café em Minas Gerais – Minas Gerais possui o maior parque cafeeiro do País (aproximadamente um milhão de hectares), respondendo por mais de 55% da produção nacional. O café é o principal produto de exportação do agronegócio mineiro, vendido para mais de 60 países. De acordo com a primeira estimativa de safra de café da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, a produção de café do em Minas Gerais está estimada de 25,39 a 26,81 milhões de sacas de 60 kg. A área em produção deve totalizar 977.444 hectares, com redução de 3,2% em comparação à safra passada, e a produtividade média do estado está estimada em 26,7 sc/ha, por volta de 12% inferior a produtividade de 30,44 sc/ha obtida na safra 2016. Essa redução é atribuída pela Conab à bienalidade negativa do café neste ano, inerente ao ciclo fisiológico da planta. Fonte: Embrapa Café via Noticias Agricolas.

As 5,6 mil toneladas de café arábica ofertadas no leilão desta quinta-feira (26) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) foram negociadas, com uma operação de venda que atingiu R$ 46,8 milhões. O preço médio por quilo alcançado foi de R$ 8,1935. O grão do tipo bebida dura, ensacado, está armazenado em unidades do estado de Minas Gerais e São Paulo (Aviso 23). As ofertas regulares de café arábica continuarão sendo realizadas pela Conab quinzenalmente, com volumes que chegam a 9 mil toneladas por leilão, como estratégia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em atuar na regulação do mercado interno, devido à elevação dos preços do produto. A Companhia cumpre resolução do Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep) que a autoriza a comercializar até 43,2 mil toneladas do produto. Fécula e Farinha - Em outra operação realizada na mesma data, foram vendidas, no primeiro leilão, 2,2 mil toneladas (41,7%) das 5,3 mil toneladas de farinha de mandioca (Aviso 21). Já o segundo leilão, de fécula de mandioca, negociou todas as 212 toneladas oferecidas (Aviso 22). Os produtos ensacados estão armazenados nos estados do Paraná e São Paulo e são oriundos de Aquisição do Governo Federal (AGF). Segundo a área que realiza os leilões eletrônicos na Conab, o estoque de fécula foi todo comercializado e o saldo de 3 mil toneladas de farinha, de São Paulo, está sendo ofertado semanalmente. Fonte: Conab.
 
 
Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini

 

Veja tambÉm: