Mais Café

NÃO A IMPORTAÇÃO DE CAFÉ Por Evair de Mello

"Em dois anos os defensores da importação mudaram por quatro vezes os argumentos. Vale observar que são os mesmos atores."

 

postado em 19/01/2017 | Há 9 meses

Em dois anos os defensores da importação mudaram por quatro vezes os argumentos. Vale observar que são os mesmos atores.

Esse debate, por parte dos interessados, são sempre realizados por executivos contratados. O levantamento da CONAB, por decisão irredutível dela, não permitiu checar a realidade, dado à particularidade do ES. Qdo apresentaram o número de um pouco mais de 2 milhões, que por si só é suficiente, não falaram mais em volume. Como afirmávamos, voltaram as ofertas. O mercado é vendedor. Falam na tal lei do mercado.

Quando produzir dava prejuízo, não fizeram nada.

A experiência brasileira de importar cacau, leite , feijão e outros produtos é catastrófica . Não confiamos nas análises de riscos de pragas e doenças enviadas pelas origens.

Suspeita de contaminação. É CONTAMINAÇÃO.

Existe uma concentração de empresas do setor, o que caracteriza uma operação industrial  questionável, mas nem todas as indústrias, tanto solúvel, quanto torrado e moído , são signatários da importação. Continuamos a confiar no ministro, que como homem responsável pelo Ministério da Agricultura, terá a grandeza de defender o Brasil desse ataque para destruir a cultura socialmente mais justa do nosso território.  Registro que não mediremos esforços, nem argumentos técnicos, políticos e econômicos para defender o setor, cobrar e propor políticas públicas para que os cafeicultores  voltem  a ter o respeito  que precisam e merecem. Na condição de parlamentar já iniciei contatos com mais de 1500 prefeitos e suas respectivas Câmaras de Vereadores, alertando sobre a tragédia  econômica e social que essa decisão vai provocar aos seus munícipes, aumentado e contribuindo ainda mais para o caos que já estão vivendo.

Infelizmente, muita  gente ligada ao setor,  por não estarem se dedicando integralmente ao tema, estão sendo iludidas pelo canto da sereia e estão míopes frente à essa tragedia anunciada.

Apelo, na condição de Parlamentar, ao Ministro Blairo Maggi que sepulte esse assunto em definitivo, o oriento, na condição de técnico, que não deixe a cafeicultura brasileira expostas ao risco sanitário. E como filho de cafeicultor me permita continuar a história dos meus antepassados. Ainda registro o total repudio a importacao  pelo Centro de Comercio de Café de Vitória, que congrega mais de 50 entidades de exportação e mercado interno, Sistema OCB de produção e Credito, Governo do Espírito Santo, Federação dos Trabalhadores e Produtores, com apoio incondicional do CNA e CONTAG, Frente Parlamentar da Agropecuária, Frente Parlamentar da Cafeicultura. É preciso registrar o repudio de toda bancada capixaba Federal e Estadual, liderado nesse tema pelo Senador Ricardo Ferraco.

Ministro , espero que assim que retornar da missão internacional possamos, juntos com o setor produtivo, tomarmos um bom café, blendado com arábica e conilon e que esse seja 100% brasileiro, para darmos essa notícia ao mundo e encerrar esse movimento meramente especulativo em definitivo. O Brasil vai continuar a ser a NAÇÃO do CAFÉ. abraço EVAIR de MELO.

 

Veja tambÉm: