Mercado

Em meio a clima de otimismo externo, café tem alta modesta na ICE

 

postado em 28/10/2011 | Há 5 anos

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US encerraram esta quinta-feira com valorização modesta. Os ganhos refletiram compras especulativas e, em menor grau, de fundos, estimuladas por indicadores positivos nos mercados externos, que deram base para que as commodities voltassem a despertar interesse de investidores. Com isso, o índice CRB conseguiu ter valorização de mais de 2% no dia, estimulado por altas no petróleo, ouro, assim como alguns softs e grãos.

A melhora do humor veio no reflexo das notícias sobre um acordo econômico traçado na União Européia, que busca dar suporte às economias mais enfraquecidas e também permitir uma recapitalização de bancos locais. A cúpula européia aprovou, entre outros itens, um corte de 50% na dívida da Grécia, país que vinha apresentando o pior comportamento econômico do bloco e que se mostrava à beira da bancarrota.

O Fundo Europeu de Estabilidade Financeira vai aportar a seus credores privados 30 bilhões de euros em garantias para a nova dívida do país helênico. Adicionalmente, os bancos da UE terão uma recapitalização, sendo que deverão ampliar o capital próprio, a partir de 30 de junho de 2012, para 9% do total de seus ativos, principalmente através de fontes de capital privado. O Fundo Europeu também recebeu um reajuste de mais de 100% na busca de dar suporte para as ações de ajuda econômica na região.

No encerramento do dia, o dezembro em Nova Iorque teve alta de 90 pontos com 234,60 centavos, sendo a máxima em 240,95 e a mínima em 234,00 centavos por libra, com o março tendo ganho de 85 pontos, com a libra a 237,75 centavos, sendo a máxima em 243,90 e a mínima em 237,40 centavos por libra. Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição novembro registrou alta de 31 dólares, com 1.864 dólares por tonelada, com o janeiro tendo valorização de 34 dólares, com 1.903 dólares por tonelada. Fundamentalmente, o mercado voltou a se acalmar.

Se por um lado a percepção de que o Brasil terá uma forte safra em 2012 faz com que a expectativa de melhoria das reservas do grão volte a surgir, por outro a instabilidade climática na América Latina continua a preocupar os players. Na América Central e no México, as chuvas continuam a ser observadas, sendo que a tempestade/furacão Rina continua a atuar, notadamente em parte do território mexicano. De acordo com analistas internacionais, esses aspectos fundamentais não influenciam diretamente o mercado neste momento.

No entanto, ainda existem incertezas quanto a extensão dos danos estruturais provocados pelas chuvas e sobre qual será o impacto desse fato no escoamento da produção. “No curto prazo não estamos sendo influenciados por esses aspectos fundamentais, mas eles podem pesar mais à frente”, indicou um trader, que sustentou que “o café flutuou no dia no lado positivo, refletindo a força dos mercados externos.

No entanto, a valorização final ficou longe das máximas, já que passamos, na segunda metade do dia, a sofrer com algumas novas vendas especulativas, que permitiram uma desaceleração considerável”, concluiu. As remessas internacionais de café arábica suave do bloco produtor da América Latina na temporada 2010/2011 foram 12% superiores ao registrado na temporada anterior, somando 26,34 milhões de sacas, segundo a Anacafé (Associação Nacional de Café da Guatemala). O grupo é formado por Colômbia, México, República Dominicana, Peru, Nicarágua, El Salvador, Guatemala, Honduras e Costa Rica.

Apenas a Nicarágua não registrou aumento das exportações durante a temporada, que terminou em 30 de setembro. As vendas externas de café do país recuaram 9,5%, para 1,49 milhão de sacas, depois que o clima adverso danificou a produção. As exportações de café do Brasil em outubro, até o dia 26, somaram 2.161.567 sacas, contra 2.012.083 sacas registradas no mesmo período de setembro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 16.876 sacas, indo para 1.272.284 sacas. O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 21.980 lotes, com as opções tendo 4.278 calls e 1.580 puts. Tecnicamente, o dezembro na ICE Futures US tem uma resistência em 240,95-241,00, 241,50, 242,00, 242,50, 243,00, 243,25, 243,50, 244,00, 244,50 e 244,90-245,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 234,00, 233,50, 233,00, 232,50, 232,00, 231,50, 231,00, 230,50, 230,10-230,00 e 229,50 centavos por libra.

 

Fonte:AgnoCafe

 

 

Veja tambÉm: