Tecnologias

Inventário do Café atrai futuros parceiros

 

postado em 25/10/2011 | Há 5 anos

Blog PEC/Café
24/10/2011
Um grande projeto pressupõe a articulação de diversas competências e instituições de referência. Desde que foi anunciado, o projeto que pretende realizar o inventário quantitativo e qualitativo do café têm atraído a atenção de pesquisadores, profissionais ligados ao setor, produtores e da sociedade em geral. Na quinta-feira (20), representantes da Cooxupé, maior cooperativa de café do mundo, visitaram a Universidade Federal de Lavras (UFLA), especificamente a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Inbatec), o Laboratório de Estudos e Projetos em Manejo Florestal - LEMAF e o Polo de Excelência do Café.
 
O Inventário do Café é um projeto que acaba de ser apresentado ao Governo de Minas Gerais, como uma das prioridades do Fundo Estadual do Café. A UFLA será a instituição coordenadora, sendo previstas várias ações que serão desenvolvidas com a participação de parceiros que possuem competências complementares. Na avaliação do gerente executivo do Polo de Excelência do Café, Edinaldo José Abrahão, a participação do setor produtivo, por meio das cooperativas, será de fundamental importância para o sucesso do projeto. “Com a sinalização do financiamento, os parceiros potenciais serão convidados para contribuir na orientação e execução do projeto”, enfatiza.
 
O coordenador da Unidade de Geoprocessamento da Cooxupé, Eder Ribeiro dos Santos, está otimista com as possibilidades que vislumbra com a criação de um banco de dados e informações sobre a cafeicultura do Estado. Para ele, trabalhar em conjunto com a universidade será muito mais fácil e o resultado dará ao setor condições para se fazer uma estimativa de safra com mais credibilidade no mercado. “Além do levantamento, a atualização constante dos dados será muito importante” reforça.
 
Representando a Cooxupé, também participaram da visita os coordenadores de Desenvolvimento Técnico, Mário Ferraz de Araújo e Maciel Yukio Nishioka, e o coordenador de Novos Produtos, Alexandre Monteiro.
 
Troca de experiências – A história do geoprocessamento na Cooxupé data de 2002, quando a cooperativa fez o levantamento da área cafeeira em Guaxupé e o resultado apontou uma redução significativa da área anteriormente estimada. Em 2006, foi estruturada a Unidade de Geoprecessamento, com a criação de uma tecnologia de levantamento em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp). Em 2008, foram compradas as imagens e realizado o levantamento das áreas cafeeiras em todos os municípios de atuação da Cooxupé no Sul de Minas. Em 2010, este levantamento se expandiu para as áreas de atuação no Cerrado Mineiro, em 24 municípios e 140 mil hectares de café.
 

Veja tambÉm: