Mercado

Mesmo elegendo diretor, Brasil já perdeu na OIC

 

postado em 29/09/2011 | Há 5 anos

A eleição para diretor-executivo da Organização Internacional do Café (OIC) ainda não está decidida, com a disputa devendo ser encerrada ainda hoje, entre o representante brasileiro Robério Silva e o mexicano Taubert.

O candidato da Índia, Krishna Rau, abriu mão da disputa. No entanto, mesmo se houver uma vitória brasileira, na avaliação de especialistas do setor e de alguns membros da comitiva oficial que está em Londres, “o Brasil já perdeu”.

Esta análise parte do pressuposto de que o Brasil não conseguiu unanimidade ou mesmo uma preferência para a eleição de seu representante e luta “de joelhos” para tentar reverter uma situação vexatória no cenário mundial do café.

Fontes ouvidas pelo Coffee Break, que não quiseram se identificar, afirmam que o Brasil não está honrando suas credenciais como maior produtor mundial de café, maior exportador e segundo maior consumidor, ou seja, é um país que teria que ter uma respeitabilidade comprovada na OIC.

Ainda na análise de lideranças da cafeicultura brasileira a responsabilidade dessa fragilidade do país na OIC deve-se à ausência de um efetivo respaldo do governo brasileiro, que não sinaliza ao mundo uma política consistente p/ o café e nem mesmo apresenta em nível interno uma política p/ o setor, que a despeito de estar comemorando o bom preço de saca de café de 60 quilos, ainda se ressente da seguidas safras em que fechou no vermelho.

“Há uma deformação no processo, pois, ao longo da história o Brasil nunca teve uma situação tão constrangedora na OIC”, resume um representante brasileiro que prefere aguardar o desenrolar da reunião no dia de hoje para se manifestar publicamente.

Durante os dois últimos dias o Coffee Break tentou sem sucesso estabelecer um contato com Robério Silva ou algum membro do governo brasileiro. A informação é de que as reuniões em Londres ocorrem de portas fechadas, inclusive, sem a presença da imprensa. “É para não expor o vexame que estamos passando”, alfineta um membro da comitiva. Nem mesmo uma nota oficial foi emitida pelo governo brasileiro.

Ainda segundo uma das fontes consultadas pelo Coffee Break “Robério Silva é refém do processo, não é o responsável pela situação”.

Coffee Break

 

 

Veja tambÉm: