Produção

Associação dos Pequenos Produtores do Cerrado irá participar da feira internacional de cafés especiais em abril

Associação prospecta firmar contatos comerciais no evento e valorizar o trabalho do pequeno produtor

 

postado em 25/02/2011 | Há 6 anos

APPCER participa da feira internacional de cafés especiais em abril
 
Associação prospecta firmar contatos comerciais no evento e valorizar o trabalho do pequeno produtor
 
Por ASCOM Expocaccer
 
A recém criada APPCER – Associação dos Pequenos Produtores do Cerrado, acaba de dar mais um grande passo rumo ao seu desenvolvimento. Em abril, três representantes da Associação participarão da SCAA, feira de cafés especiais dos Estados Unidos. O objetivo principal dessa participação é firmar contato com os compradores internacionais e sentir, de perto, como funciona a dinâmica do mercado externo e a demanda para o seu produto.
 
Os três representantes da associação que participarão do evento, Almir Jordan Colombo, José Astrogildo de Oliveira e José da Cruz Pereira, comemoram a oportunidade oferecida pelos parceiros: SEBRAE, COOPA e Expocaccer. “Esta oportunidade veio em um momento muito bom, estamos no início dos nossos trabalhos e já temos a chance de conhecer o mercado lá fora e também de nos mostrar”, enfatiza o presidente da APPCER, José da Cruz.
 
O desejo dos membros e parceiros da APPCER é que na data da realização da feira, as propriedades já possuam a certificação Fairtrade, fato que impulsionará a exportação dos cafés, uma vez que o mercado internacional se baseia nas certificações para garantir as boas práticas agrícolas e a qualidade do produto. A previsão é para que a auditoria de certificação ocorra no início do mês de abril.
 
A certificação Fairtrade
A busca pela certificação Fairtrade (Comércio Justo) foi o motivo que norteou a criação da APPCER. Os membros da associação há pouco mais de dois anos, já são atendidos pelo NUCOOPP – Núcleo Cooperativista dos Pequenos Produtores, implantado através de um convênio entre Expocaccer, COOPA e SICOOB COOPACREDI, para atender as demandas destes produtores, sendo a certificação um passo que todos objetivam dar com a perspectiva de exportarem seus cafés.
 
O propósito desta certificação é criar oportunidades para os pequenos produtores, sobretudo do Hemisfério Sul, que têm sido economicamente desfavorecidos pelo sistema de comércio convencional. Dessa forma, o acesso equitativo aos mercados em melhores condições comerciais os auxiliará a superar os obstáculos e os direcionará ao desenvolvimento. “O nosso intuito, com a APPCER e com a certificação Fairtrade, é valorizar a mão de obra familiar e fortalecer a classe dos pequenos produtores. Isoladamente não temos poder de negociação no mercado externo devido ao volume produzido, mas com a associação conseguiremos atender a demanda dos compradores internacionais e efetivaremos a exportação dos nossos cafés”, avalia José da Cruz. A APPCER conta com o apoio da Expocaccer e com a estrutura operacional e financeira da cooperativa, bem como com sua experiência em comércio internacional para promover a comercialização de seus cafés. De acordo com o superintendente, Eustáquio Miranda, todo o suporte comercial será oferecido aos membros da APPCER e afirma que já existem vários clientes interessados em serem parceiros nesta iniciativa.
 
Desenvolvimento
A estrutura da APPCER foi elaborada para atender os 55 municípios da Região do Cerrado Mineiro através da criação de núcleos. Hoje existe o núcleo inicial que funciona na comunidade do Esmeril, na região de Patrocínio, em que 38 pequenos produtores compõem a associação. Devido ao empenho destes e ao desenvolvimento que a APPCER vem apresentando, já há demanda para implantação de mais dois núcleos. “Temos demanda para abrir mais um núcleo na comunidade de Martins e no dia 28 de fevereiro faremos uma palestra de sensibilização na comunidade da Lagoa Seca, nesta comunidade acredito que já implantaremos um novo núcleo e expandiremos os benefícios que temos conseguido para mais agricultores”, afirma José da Cruz.
 
Em Minas Gerais existem outras unidades de associações de pequenos produtores, como é o caso da região do Sul de Minas. Tendo em vista o início dos trabalhos da APPCER, o SEBRAE ofereceu uma missão para os membros da associação visitarem a região com o objetivo de coletar informações sobre o trabalho que já é realizado lá há alguns anos. A viagem acontece no dia 01 de março e segundo Juliano Tarabal, superintendente da Fundação do Desenvolvimento do Café do Cerrado – Fundaccer, esta é mais uma oportunidade de grande valor, pois os produtores poderão se basear nos modelos organizacionais de sucesso já existentes e promover ainda mais o desenvolvimento da associação da Região do Cerrado Mineiro. “A APPCER já nasce grande, sem dúvida nenhuma. Mais uma vez a Região do Cerrado Mineiro deu provas de sua grande organização e habilidade em articular suas instituições em busca de objetivos comuns. Em outras regiões do Brasil, como no Sul de Minas, já existem iniciativas Fairtrade funcionando há alguns anos. Um grande destaque é a COOPFAN – Cooperativa dos Pequenos Produtores de Poço Fundo. Existem também outras iniciativas na mesma região que buscaram a certificação Fairtrade, mas nem todas obtiveram êxito, devido à ausência de alguns fatores como a falta de organização e comprometimento com a causa”, avalia Tarabal. Para o superintendente da Fundaccer, este é um momento muito favorável para todos da APPCER, pois, segundo, ele “estamos diante de uma nova ordem mundial, proveniente da globalização, da evolução do consumo e da evolução da mentalidade dos consumidores, além da pressão por preservarmos melhor nosso planeta e repartirmos melhor os ganhos. O produtor precisa entender que o mundo vai muito além dos limites de sua porteira e a cerificação pode auxiliar muito neste processo”.
 

Veja tambÉm: