Mercado

ENTREVISTA Armando Matielli, diferencial de preços pela saca do café tira a prosperidade das regiões

Cafés de qualidade da zona da Mata mineira estão sendo vendidos com preços menores aos dos demais cafés do planalto. A diferença chega a ser de R$ 50,00 por saca. A transferência de renda é cruel para para os brasileiros, que ficam com a pobreza, ao invés

 

postado em 28/10/2010 | Há 6 anos

Noticias Agricolas

Enquanto os preços médios para uma saca de café natural é comercializado a R$ 330,00 nas principais praças produtoras, na zona da Mata mineira e parte do Espírito Santo, a saca é vendida a R$ 280,00 por exigência dos compradores. A transferência da renda dos cafés de qualidade da região fica na mão dos exportadores.

Armando Matielli, diretor da Sincal, explica que o café de excelente qualidade produzido na zona da Mata, responsável pela produção de mais de 10 milhões de sacas, é injustiçado por uma política onde o Governo não enxerga que o diferencial de R$ 50,00 entre as praças tira demais a renda dos cafeicultores.

A transferência do dinheiro é direcionado à países ricos, enquanto para os brasileiros, a realidade é cruel, onde ficam com a pobreza ao invés da prosperidade.

Fonte: Redação NA

 

Veja tambÉm: