Comércio

Governo amplia controle de agrotóxico

 

postado em 21/04/2010 | Há 7 anos

O Estado de São Paulo

21/04/2010 
 

Produtos importados e até orgânicos vão passar a ter níveis de resíduos e contaminantes monitorados
 
Fernanda Yoneya - O Estado de S.Paulo


Por meio do Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes, o Ministério da Agricultura está ampliando a fiscalização de resíduos em alimentos. Segundo o chefe do Serviço de Controle de Resíduos e Contaminantes da Área Vegetal do ministério, Carlos Venâncio, o plano, antes restrito à área vegetal, agora inclui também produtos de origem animal, como ovos, mel, pescados, aves, suínos e bovinos.

\"No ano passado, avaliamos 18 mil amostras de dez espécies. Foram detectadas 33 violações analisadas, ou um índice de conformidade de 99,8%\", disse Venâncio, em evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em São Paulo (SP). As amostras, de 25 Estados e Distrito Federal, são coletadas na Ceagesp.

Importados. Venâncio informou ainda que o ministério fará, a partir de julho, o monitoramento de agrotóxicos e resíduos em produtos importados pelo Brasil e em alimentos orgânicos, começando pela verificação da salmonela em alface. \"Vamos também incluir a verificação de metais pesados nos alimentos\", diz.

A regulamentação do registro de agrotóxicos para as chamadas pequenas culturas (ou \"minor crops\"), resolvido por meio da Instrução Normativa n.º 1, publicada em fevereiro, divide opiniões. Para o Mapa, responsável pelo registro junto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ibama, a norma tira o agricultor da ilegalidade.

Para o agrônomo Reinaldo Skalisz, da Secretaria da Agricultura do Paraná, porém, a normativa põe em risco a saúde do consumidor. \"A solução de agrupar os alimentos em \"famílias\" é arriscada, porque, embora haja similaridades entre certos alimentos, o produto não foi pesquisado para essa cultura\", defende.

Para o agrônomo, se a cultura não tem produto registrado, o agricultor deve buscar alternativas, como o controle biológico de pragas e doenças e o cultivo orgânico. \"O que não pode é usar um agrotóxico que não foi desenvolvido para aquele alimento e fazer os consumidores de cobaias\", disse Skalisz.

Consumo

As lavouras que mais consomem agrotóxicos no País são soja, milho, cana, algodão e citros, com 81,4% do consumo nacional

673,8 mil
toneladas de agrotóxicos foram consumidas no País em 2008, segundo a Anvisa

318,8 mil
toneladas, ou 47,31% do total consumido, foram aplicadas em lavouras de soja 

 

Veja tambÉm: