Produção

Norte Pioneiro do Paraná vai pedir Indicação Geográfica

 

postado em 27/03/2010 | Há 7 anos

24/03/2010

No próximo dia 30, às 9 horas, os cafeicultores associados à Associação de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (ACENPP) reúnem-se em assembleia na sede da associação, que fica em Santo Antônio da Platina, para acertarem os últimos detalhes do processo de pedido de Indicação Geográfica.

Em março do ano passado, uma reunião na sede do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), localizada no Rio de Janeiro, marcou o início do processo para o registro de Indicação Geográfica do Norte Pioneiro do Paraná como uma região produtora de café. Para dar entrada no pedido, integrantes da ACENPP e representantes de entidade de apoio, dentre elas o Sebrae/PR, reuniram informações para comprovar a tradição do plantio de café na região, o que resultou em um documento com mais de 500 páginas. Após analisar os documentos apresentados, o INPI recomendou algumas alterações que serão apresentadas aos produtores durante a assembleia.

Para o consultor do Sebrae/PR em Jacarezinho e gestor do projeto cafés especiais, Odemir Capello, a conquista da Indicação Geográfica vai trazer inúmeros benefícios para os produtores da região. \"Todos os resultados obtidos até agora pela ACENPP se devem ao planejamento, à organização e à vontade dos cafeicultores em mudar sua realidade. O café do norte pioneiro vai ser o primeiro produto do Estado a conquistar a Indicação Geográfica.

Isso vai reforçar a marca e contribuir para o marketing do produto, melhorando assim a comercialização, o que já vem ocorrendo\", analisa Odemir Capello. Uma Indicação Geográfica compreende a Indicação de Procedência e a Denominação de Origem. A Indicação de Procedência distingue o nome de um país, cidade, região ou localidade que se torna conhecido pela produção, fabricação ou extração de determinado produto ou prestação de um serviço específico.

A Denominação de Origem reconhece que as qualidades de um produto ou serviço se devem exclusivamente ao meio geográfico no qual se encontra que pode ser um país, cidade, região ou localidade. Luiz Fernando de Andrade Leite, produtor de café e presidente da ACENPP, enumera alguns aspectos decorrentes da conquista da Indicação Geográfica. \"A conquista da Indicação Geográfica promoverá comercialmente as propriedades, vai agregar valor e garantir a autenticidade do produto, além de preservar a diversidade e o meio ambiente.

Um produto com o selo de Indicação Geográfica gera proteção para produtores e consumidores, impulsiona o desenvolvimento rural e facilita a promoção comercial e as exportações\", explica Andrade Leite. A região que alcança o reconhecimento de Indicação de Procedência e o registro de Denominação de Origem oferece ao consumidor produtos caracterizados por uma marca e uma identidade própria que os diferenciam no mercado.

Alguns exemplos de produtos com Indicação Geográfica, tidos como de alta qualidade, são os vinhos da região Bordeaux, produzidos na França; o presunto de Parma, produzido na região da Emilia-Romagna, na Itália, e os charutos cubanos. A legislação que rege as Indicações Geográficas é a Lei da Propriedade Industrial nº 9279/96.
 

Veja tambÉm: