Mercado

Produção de café na região de Franca, em 2010, deverá ter acrescimo de 15%

 

postado em 21/02/2010 | Há 7 anos

DIÁRIO DA MANHÃ ONLINE - GO

21/02/2010 


Produção de café poderá superar últimos anos

Chuvas nos últimos três meses podem beneficiar safra, mas produtores estão apreensivos com floradas desiguais

A produção de café na região de Franca, em 2010, deverá apresentar um crescimento em torno de 15%. Em clima de otimismo, Wanderley Cintra Ferreira, do conselho da Cooperativa dos Cafeicultores e Agropecuaristas de Franca e Região - Cocapec -, relatou que entre o clima é um dos itens favoráveis à produção. Em 2009, os produtores vivenciaram um ano de safra menor, mas neste ano com as lavouras novas e pelo ano de safra a produção poderá surpreender.

O percentual comercializado em 2009 na região de Franca ficou em torno de 19 milhões de sacas de café, enquanto em 2008 foram 17 milhões. As intensas chuvas na região tem deixado o solo encharcado, mas Wanderley Ferreira ressaltou que algumas lavouras tem sido beneficiadas. "Elas não são torrenciais e não estão provocando estragos na produção de café" citou.

Mas, o clima irregular trouxe efeitos para alguns cafezais. Os problemas têm sido as floradas desiguais ou diversas floradas. Isso provoca o desenvolvimento do fruto em fases diferenciadas enquanto alguns estão em granação, outros podem estar no ponto da colheita. Em conseqüência, o grão a ser colhido a partir de maio corre o risco de ir para o mercado com baixa na qualidade, advertiu o engenheiro agrônomo Saulo Faleiros, também da Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas da Alta Mogiana, entidade que reúne produtores dos municípios de Franca, Pedregulho, Cristais Paulistas, Jeriquara, Ribeirão Corrente, Patrocínio Paulista e São José da Bela Vista.

Segundo ele, nesse período do verão tem chovido pouco na região, mas as chuvas fora de época durante o inverno atrapalharam o processo natural de desenvolvimento da planta."O café se desenvolve com tempo chuvoso e quente, mas precisa do momento seco e frio para o estado de dormência necessário ao seu metabolismo", explicou Faleiros. Ele acredita, no entanto, que em termos de quantidade, a maioria não terá do que reclamar.

Dados apurados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) no escritório regional da secretaria em Ribeirão Preto indicam estimativa de perdas de até 10%, principalmente pelo comprometimento da infraestrutura para o escoamento da safra. Além de implicar maiores custos para a colheita e o beneficiamento, o excesso de umidade fora de hora pode levar alguns grãos a ficar murcho, alertou o pesquisador científico do IEA, Celso Vegro.

Ele acrescentou que em razão das fases mistas de grãos maduros com outros sem estar no ponto certo de maturação, ou ainda verdes, o resultado poderá ser "o daquele gosto adstringente da bebida". A previsão para a safra 2010, feita em janeiro pela COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO ( CONAB), indicou um crescimento de 12,7% a 19,9% na colheita no estado, passando de 3,8 milhões para 4,1 milhões de sacas de 60 quilos.

 

Veja tambÉm: