Mercado

Mercado de Café Archer Consulting - MERCADO VAZIO COM FUNDOS VENDENDO

 

postado em 28/12/2009 | Há 8 anos

28/12/09

Comentário Semanal - de 21 a 25 de dezembro de 2009

Rodrigo Corrêa da Costa


A penúltima semana do ano foi calma nos mercados financeiros, apesar de alguns dados econômicos como PIB e vendas de imóveis nos Estados Unidos terem sidos piores do que esperados.

Os investidores entraram em ritmo de festas, e como muitos já tinham antecipado alguns ajustes em suas carteiras para o final do ano calendário, acabamos vendo os volumes negociados bem abaixo da média.

O ano que está acabando surpreendeu até os mais dos otimistas, com as bolsas saindo do fundo do poço em março, e tendo o S&P encerrando a "apenas" 12% dos níves pré-Lehman Brothers.

Os mercados emergentes foram os que mais se beneficiaram (da alta) com a política monetária expancionista, principalmente o bloco formado por Brasil, Russia, India e China. Mas, em geral os ativos de risco ganharam mais atenção de parte dos investidores, já que o juros na maior economia do mundo estão entre 0 e 0.25% ao ano.

Resta saber como os mercados se comportarão em 2010 com uma redução de progamas de liquidez, e com um volume de recursos de pacotes de estímulos diminuindo.

As commodities, que se tornaram popular com os instrumentos de ETF (exchange traded funds) são vistas como promissoras para o ano de 2010, segundo algumas pesquisas, porém é bom tomar muito cuidado.

O receio paira sobre uma mudança da política de juros das economias ricas, que naturalmente pode tirar um pouco de atratividade ao risco, incluindo as commodities. Como já comentamos algumas vezes neste espaço, há um volume de dinheiro razoável que foi colocado no mercado sendo financiado por um dólar barato (o chamado carry-trade) e além dissso tem o famigerado custo de carrego que penaliza aqueles que ficam apenas comprados nos mercados futuros.

Para o café o cenário de curto prazo não parece muito amedontrador para os altistas, já que há aperto de qualidade no mundo, e o pico do consumo no hemisfério Norte deve trazer suporte aos preços até meados de fevereiro ou março.

A dúvida é o que acontecerá a partir de março, quando não haverá mais urgência dos torrefadores, ao mesmo tempo que a colheita de América Central estará acabada, e os produtores brasileiros já terão uma noção mais clara do quanto produzirão de café. Soma-se o fato dos fundos (provavelmente) ainda estarem comprados, e o quadro pode ficar frágil, fazendo com que os preços possam sofrer quedas acentuadas.

Mais uma vez devo dizer que me incomoda a situação confortável que o mercado se colocou, com a maioria assumindo que a posição dos fundos de índice, por exemplo, está aí para ficar. Imagina se virmos uma diminuição grande do interesse do investidor em manter seu dinheiro nestes fundos passivos, justamente em um ano de superávit de produção...

Os produtores brasileiros, inteligentemente, tem aproveitado para vender seus cafés da safra 2010/2011, e devem continuar f azendo isto nos próximos movimentos de alta do terminal.

Para o começo do ano há sempre o rebalanceamento da carteira de commodities dos fundos passivos, porém para o café não haverá um movimento expressivo, diferente do volume de vendas que será feito no açúcar ou nos grãos.

A curta semana se encerrou com Nova Iorque perdendo US$ 7.87 por saca, sendo que a perda maior aconteceu na quinta-feira, com o mercado vazio, negociando apenas 5,309 lotes.

Tecnicamente o mercado precisa se segurar acima de US$ 138.50 centavos por libra, para que não sofra mais um assalto de vendas de fundos.

Torradores devem aparecer para comprar em escala, e dado o baixo volume da queda, não seria surpresa vermos os preços voltarem a subir.

Continuamos achando que o café vai ficar por algum tempo ainda entre o intervalo de US$ 140.00 a US$ 150.00.

Aproveito a oportunidade para desejar a todos nossos leitores, amigos e colaboradores um excelente 2010, com muit a saúde e sucesso.

Com o novo website da Archer, fique a vontade para direcionar qualquer feedback do relatório de café, que será encaminhado diretamente para mim.

O próximo comentário irá ao ar no final de semana do dia 23/24 de Janeiro, quando eu comentarei sobre as commodities que melhor perfomaram na década que está se encerrando.

Tenham todos uma ótima semana, muito bons negócios e um Feliz Ano Novo.

Rodrigo Costa*
escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting

 


 

 

Veja tambÉm: