Produção

José Augusto Oliveira Naves, Paixão pelo café que vira excelência na xícara

Sou José Augusto Oliveira Naves, o “Naves”. Nasci há 30 anos, na pequena cidade de Cássia, sudoeste de Minas Gerais.

 

postado em 01/11/2017 | Há 2 semanas

José Augusto Oliveira Naves, Paixão pelo café que vira excelência na xícara

Vim de uma família bem simples e comecei a trabalhar muito cedo, vendendo picolés. Já trabalhei em sacolão, fui caixa em supermercado e, em 2005, ingressei na Cooperativa Agropecuária de Cássia, a Coopassa, então parceira da Syngenta em trocas de barter e recentemente incorporada pela também parceira Coopercitrus. Mas a gente pode voltar a falar disso em mais um ou dois dedinhos de prosa. Enquanto isso vai um cafezinho?

Meu contato com o café vem de antes. Meus pais laboraram por muito tempo no campo, principalmente na colheita de café. Tenho lembranças de acordar muito cedo para ir à lavoura com eles e, sem saber, comecei ali algo que se tornaria uma relação de amor para toda a vida, tendo vivenciado diversos processos e fases do café: plantio, adubação, desbrota e colheita.

Foi em 2006 que, passando por várias áreas na cooperativa percebi que café não era “tudo igual”. Xícara após xícara comecei a notar diferenças sensoriais que ainda não conseguia distinguir. Com sede de conhecimento, quis melhorar minhas habilidades rapidamente e mergulhei de cabeça. Recebi um convite para me juntar ao Departamento de Comercialização de Café da Coopassa, quando decidi cursar administração com ênfase em comércio exterior, vendo que poderia aprimorar meus conhecimentos para o longo caminho que trilharia na área de Qualidade do Café. Era a oportunidade de viver, plenamente a minha paixão!

Um gole de futuro

Em 2010, fiz um curso de preparação e formação de Q graders, profissionais capacitados a analisar cafés especiais, oferecido pela Plataforma NUCOFFEE, da Syngenta. Tornei-me um Q grader, título importante! E no fim daquele mesmo ano, soube de uma vaga na área de Qualidade da NUCOFFEE. Me candidatei, passei pelo processo seletivo e, no dia 17 de janeiro de 2011, virei um colaborador efetivo da Syngenta. Lá se vão quase sete anos de história.

Desde que me mudei para Varginha, também em Minas, em 2014, fiquei mais familiarizado com o Cup of Excellence (COE), competição de cafés de alta qualidade de maior prestígio no mundo. O nível de minúcia na análise, dentro do COE é único na indústria de cafés especiais. Por conta da agenda atribulada, fui adiando minha participação, mas neste ano resolvi me inscrever para integrar o quadro de juízes. Avaliaram minha performance sensorial oferecendo cafés de qualidades variáveis, em diferentes momentos do dia, para testar minha percepção, constância e regularidade de análise.

Ao todo, foram 46 participantes dessa seleção no Brasil, divididos, conforme os resultados dos testes, em seis subgrupos. Fiquei no primeiro deles, o dos nove juízes “altamente recomendados”. Vamos ter ainda algumas fases nacionais e outras internacionais, mas vejo que o importante nisso tudo, até aqui é poder contribuir divulgando a qualidade do café brasileiro, uma chance que soube que teria desde que ingressei na NUCOFFEE.

E falando em NUCOFFEE

Recebemos cafés especiais das principais regiões produtoras do Brasil, o que me proporcionou uma bagagem gustativa que se atualiza todo dia e gera novos conhecimentos. No meio da equipe de qualidade existe um ditado: “todo dia se aprende algo novo com café”. É uma cultura muito sensível a inúmeros fatores, na qual a sustentabilidade se conecta intimamente à qualidade da produção. Clima, variedade, solo, altitude, trato cultural, colheita, processamento, pós-colheita e armazenagem, tudo aparece no sabor de um bom café.

E por trás de todos esses fatores que elevam e levam a qualidade do nosso café para as xícaras mais exigentes ao redor do mundo está o trabalho pioneiro e líder da NUCOFFEE, que oferta soluções integradas com grande intimidade e paixão por nossos clientes.

Só tenho a agradecer todas as oportunidades que a Syngenta me proporcionou para que eu me tornasse o profissional que sou hoje, cada dia com mais amor pelo que faço e orgulhoso das escolhas que fiz. Com o mesmo orgulho, digo que em minhas veias não corre sangue, mas transborda café. O café une, transforma e apaixona. Sou prova viva disso. Como diria um grande amigo meu, “quem toma café fica mais amoroso”.

E então, aceita mais uma xícara?

 

Veja tambÉm: