Tecnologias

Mapeamento do parque cafeeiro de Minas Gerais será apresentado pela Emater-MG

Emater-MG está mobilizando centenas de técnicos em mais de 400 municípios de Minas Gerais, para fazer o mapeamento da produção cafeeira do Estado.

 

postado em 25/10/2017 | Há 3 semanas

(BELO HORIZONTE, 25/10/2017) - A Emater-MG está mobilizando centenas de técnicos em mais de 400 municípios de Minas Gerais, para fazer o mapeamento da produção cafeeira do Estado. Esse levantamento será a base do Geoportal do Café, que deverá ser uma vitrine da cafeicultura mineira, com informações completas e atualizadas, disponíveis na internet. O projeto será apresentado pelo engenheiro agrônomo Edson Logato, coordenador técnico da Emater-MG, em um workshop, nesta quinta-feira (26 de outubro), durante a Semana Internacional do Café (SIC), no Expominas, em Belo Horizonte.
A apresentação do mapeamento do café será às 14h, na sala Inteligência de Mercado. O coordenador da Emater-MG explica um dos benefícios do trabalho: "É importante ter números precisos sobre a produção, pois esse tipo de informação gera muita especulação no mercado. Os compradores internacionais, em geral, superestimam a safra brasileira, o que faz os preços caírem. E quem sai perdendo com isso é o produtor", afirma Edson Logato.
Outro aspecto do mapeamento do café é o levantamento dos custos de produção, que está sendo feito em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nas diversas regiões de Minas Gerais. "Levantamos junto com produtores, técnicos e cooperativas e definimos os coeficientes técnicos dos custos nas diferentes regiões do Estado. Este dado é fundamental para subsidiar políticas públicas, como a definição dos preços mínimos do café", explica o coordenador.

O mapeamento do parque cafeeiro começa pelo levantamento da área plantada com o uso de imagens de satélite. Essa etapa, segundo Logato, já foi concluída, nos 451 municípios produtores de café de Minas Gerais. "Agora estamos fazendo a validação desses dados em campo. Isso já foi feito em cerca de 150 municípios. E essa confirmação é feita nas propriedades pelos técnicos da Emater-MG, empresa que tem a capacidade e a capilaridade para a tarefa", conta Edson Logato.

O Geoportal do Café demanda investimentos de R$ 6 milhões, dos quais R$ 4 milhões estão sendo aportados pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Os outros R$ 2 milhões são contrapartida da Epamig e da Emater-MG, que capacitou 500 técnicos para atuar no projeto. Participam ainda a Fundação João Pinheiro e a Embrapa.
Concurso de Qualidade

Durante a Semana Internacional do Café, algumas amostras participantes do concurso serão provadas por compradores nacionais e internacionais, na sala Cupping & Negócios do evento, na quinta-feira, 26 de outubro, a partir de 16h. O Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais de 2017 recebeu 2.056 amostras de café, das quatro regiões produtoras: Sul, Cerrado, Matas de Minas e Chapada. O número de inscritos foi 10% maior do que no ano passado, com destaque para a região das Matas de Minas. O resultado será anunciado em dezembro.

A Semana Internacional do Café (SIC) começou ontem e vai até sexta-feira (27 de outubro), no Expominas, na Gameleira, em Belo Horizonte. O evento é realizado pelo Sistema Faemg, Café Editora, Sebrae e Governo de Minas. Estão sendo promovidos 25 eventos simultâneos entre palestras, seminários, cursos, workshops e concursos para produtores, empresários, apreciadores e interessados no universo da produção de cafés no Brasil e no exterior.

 

Veja tambÉm: