Produção

Cup of Excellence: café campeão da “Pulped Naturals” é vendido por R$ 18,9 mil

Valor é o maior pago por uma saca do produto nos concursos de qualidade do Brasil em 2016 e representa alta de quase 3.000% frente à Bolsa de NY

 

postado em 07/12/2016 | Há 11 meses

O leilão dos cafés especiais vencedores da categoria “Pulped Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2016 foi realizado via internet ontem, 6 de dezembro, e registrou o maior valor, em reais, pago pela saca do campeão, superando os R$ 16,6 mil de 2014. Os dois maiores lances foram dados ao lote do produtor José Joaquim Oliveira, da Fazenda Santa Bárbara, localizada em Piatã (BA), na Chapada Diamantina, que foi adquirido em duas frações. A primeira ficou com as empresas japonesas Maruyama Coffee, Toa Coffee, Sarutahiko Coffee e Saza Coffee e a segunda com a companhia inglesa Difference Coffee, que pagaram *R$ 18.921,67 (US$ 5.469,96) por cada saca de 60 kg, gerando uma receita acumulada total de R$ 160.580,22 (US$ 46.421,20). Esse é o maior valor pago em concursos de qualidade na safra 2016 no País.
 
O pregão é a etapa final da categoria “Pulped Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2016, principal concurso de qualidade do País destinado aos cafés produzidos por via úmida (cereja descascado/despolpado), que é realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE).
 
Ao término dos negócios, todos os lotes foram comercializados e geraram a receita total de *R$ 981.416,14, ou US$ 283.711.88. O valor médio pago pela saca foi de *R$ 4.089,23 (US$ 1.182,13), ou US$ 8,94 por libra peso, cotação que representa substancial alta de 548% na comparação com o fechamento do dia na Bolsa de Nova York (US$ 1,3795/lb-peso), principal plataforma de comercialização de café do mundo. Quando se toma como referência o maior lance do pregão, equivalente a US$ 41,30/lb-peso, esse percentual salta para aproximadamente 3.000% sobre a cotação referência da bolsa.
 
De acordo com a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, a arrecadação total e os altos lances pagos demonstram um crescente interesse dos estrangeiros pelo produto brasileiro, que avança a cada dia no conceito da qualidade mundo afora. "Com a crise que vivenciamos em nosso País, é muito gratificante ter nosso trabalho reconhecido mundialmente. O preço médio de venda da saca no leilão de hoje foi superior a R$ 4 mil, valor excepcionalmente bom, mesmo considerando a valorização geral do produto este ano em função dos problemas de safra que afetaram o nosso negocio”, comenta.
 
Vanusia também enaltece a importância da realização do Cup of Excellence no Brasil, que contribui para reforçar a imagem dos cafés nacionais em todo o mundo e posicionar o País como fornecedor de alta qualidade. “No leilão, observamos os maiores valores pagos em concursos de qualidade pelos cafés do Brasil em 2016, evidenciando que a iniciativa da BSCA, em parceria com a Apex-Brasil e a ACE, vem alcançando seu objetivo de promover a excelência em qualidade dos cafés brasileiros e proporcionar retorno aos produtores”, completa.
 
Os 24 vencedores da categoria “Pulped Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2016 foram produzidos em propriedades situadas em quatro origens produtoras: Chapada Diamantina (BA), Montanhas do Espírito Santo, Matas de Minas e Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais. A lista dos vencedores e o resultado completo do leilão podem ser acessados no site da ACE (http://www.allianceforcoffeeexcellence.org/en/cup-of-excellence/country-programs/brazil-pulped-naturals/2016/auction-results/).
 
SOBRE O PROJETO SETORIAL
O Cup of Excellence – Brazil 2016 é ação integrante do projeto setorial Brazil. The Coffee Nation, que é desenvolvido em parceria pela BSCA e a Apex-Brasil, tendo como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País.
 
O projeto visa, também, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros. Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto vai de maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.
 
* Dólar comercial cotado a R$ 3,4592, conforme apuração do Banco Central do Brasil em 5 de dezembro de 2016.
 

Veja tambÉm: