Mercado

Andre Illy estima café em 180 centavos de dólar por libra-peso e estoques recompostos em 2012

 

postado em 27/10/2011 | Há 6 anos

Tomas Okuda Agência Estado

 
26/10/2011 - O presidente da Illycaffè, Andrea Illy, estimou nesta quarta, dia 26, que a safra 2012/2013 de café do Brasil deverá render entre 55 milhões e 58 milhões de sacas de 60 quilos. A companhia é uma tradicional torrefadora italiana e grande compradora de café brasileiro de alta qualidade.

– Esperamos uma ótima colheita em qualidade e quantidade – afirmou durante entrevista concedida em São Paulo.

Segundo Illy, após as chuvas recentes, a florada dos cafezais foi boa, regular e abundante. Mas ele ponderou que é preciso esperar a maturação dos grãos, até janeiro, e ressaltou que a sua é uma estimativa privada.

– É preciso acompanhar os números oficiais da Conab – afirmou.

Illy comentou que a Companhia Nacional de Abastecimento previu a safra 2011/2012 em 43,15 milhões de sacas enquanto ele estimou a produção do período entre 45 milhões e 46 milhões de sacas. A primeira estimativa da Conab para o próximo ciclo só deve sair em janeiro em 2012.

O presidente da torrefadora italiana illycaffè, Andre Illy, estimouque a produção global do grão em 2012 deverá ser abundante, permitindo recompor estoques. Com isso, as cotações futuras do produto na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) tendem a experimentar uma queda para cerca de 180 centavos a 200 centavos de dólar por libra-peso por volta de janeiro de 2012, antecipando principalmente a colheita brasileira, cujo pico ocorre a partir de julho. Ontem em Nova York, o primeiro vencimento do contrato futuro de café (dezembro) fechou a 236,55 centavos.
 
"A lógica de uma colheita abundante no ano que vem sugere uma queda dos preços, mas não sou mago", ponderou Illy, durante entrevista hoje aos jornalistas, para anunciar a inauguração de um showroom da marca nos Jardins, em São Paulo. Segundo ele, além do Brasil, o que acontecer com a safra da Colômbia, segundo maior produtor mundial de grãos arábica, será crucial para o comportamento do mercado. "Se a safra colombiana voltar aos níveis superiores a 10 milhões de sacas de 60 kg, teremos uma colheita mundial abundante", disse. Mas se o clima adverso (excesso de chuvas) persistir naquele país, "será difícil recompor estoques que permitam uma queda das cotações", ponderou.
 
A illycaffè é reconhecida mundialmente por adquirir apenas grãos de café de alta qualidade, para constituição de um só blend. A cada safra, a empresa armazena cerca de 20 mil toneladas de café na região de Trieste. Cerca de 50% do total é proveniente do Brasil e a outra metade vem de 13 países diferentes. "Oferecemos um só blend como opção estratégica, garantindo mais qualidade e equilíbrio", explicou.
 
Andrea Illy acrescentou que a qualidade dos cafés brasileiros tem melhorado a cada ano. A empresa paga diretamente aos cafeicultores, em média, prêmio de 30% sobre o valor de mercado. Ele estimou que o número de fornecedores tem se mantido estável em cerca de 700 produtores, principalmente por causa da melhoria em qualidade. "Há 10 anos, a illycaffè comprava 1 em cada 10 amostras de café. Hoje são adquiridas 7 em cada 10 amostras", salientou.
 
No varejo, a torrefadora desenvolve dois projetos. Um deles é a cafeteria Espressamente illy, com cerca de 230 lojas no mundo. Uma unidade funciona experimentalmente em shopping de São Paulo. O outro projeto é a illyshop, com oferta de produtos para consumo no lar. No Brasil existem quatro pontos de venda e cerca de uma centena no mundo. "Queremos ficar cada vez mais próximos do consumidor final", disse Federico Di Franco, diretor geral da illycaffè Sud America, subsidiária da empresa no Brasil.
 
O presidente da illycaffè comentou, ainda, sobre uma nova campanha mundial da empresa que acaba de ser lançada na TV e nos jornais da Itália. "Trata-se de um novo posicionamento da marca, valorizando a paixão pela excelência e a ética, com o slogan 'Live Happilly'", afirmou. Ele não revelou o volume de recursos investidos na iniciativa, que deverá chegar ao Brasil. "A campanha virá ao Brasil, mas ainda não sabemos por meio de qual mídia", concluiu.

 

Veja tambÉm: