Curiosidades

Linha de Bonde de Santos Comemora 1 Milhão de Passageiros e Ganha mais Unidades

 

postado em 11/05/2011 | Há 7 anos

 
Linha de Bonde de Santos Comemora 1 Milhão de Passageiros e Ganha mais Unidades
10/05/2011 22:05:00 - Intelog
Por SECOM

Faixas com o verde e amarelo do Brasil, ao lado de outras com as cores de Portugal (verde e vermelho) e da Itália (verde, vermelho e branco) decoraram, no último sábado (07/05), os veículos do cortejo que comemorou a marca de 1 milhão de passageiros da Linha Turística de Bonde de Santos.

Em clima de festa, houve a estréia de mais um carro para funcionar no trajeto e a entrega de outro exemplar para restauração. Eles fazem parte do acervo do Museu Vivo do Bonde, que está sendo formado com unidades oriundas de vários países.  "A linha resgatou a emoção contida do povo santista, que sempre teve forte ligação com este meio de transporte, e também contribuiu para a revitalização da região central", disse o prefeito João Paulo Papa, durante solenidade na Praça Mauá.

O evento contou com a música da Banda Santista de Repertório e do Grupo Toledo e Regional, atores caracterizados com roupas de época e a presença dos integrantes do projeto Vovô Sabe Tudo, gu ias de turismo, autoridades e público em geral. Durante todo o dia, o passeio nos seis veículos foi gratuito.

A linha passa a dispor do reforço do modelo escocês nº 38 (de 1911), doado pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária). Com capacidade para 42 pessoas, atualmente ele circula como reboque. "O exemplar pertenceu a Santos e estava em estado de abandono na área do Memorial do Imigrante, em São Paulo", conta o diretor da entidade, Carlos Alberto Rollo. Este carro, que passou por manutenção na oficina especializada da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), mais tarde será submetido a outra reforma. "Futuramente ele será restaurado e eletrificado", explica o engenheiro da CET, Marcos Rogério Nascimento.

Na solenidade, também foi apresentado o exenplar americano cedido pelo Instituto Memória Votorantim, da década de 1920. O veículo, que pode abrigar 36 passageiros sentados, já serviu para transporte de operários à fábrica de cimentos da empresa n o início do século passado.

Bonde Temático e Incentivo ao Comércio

Outra novidade, anunciada pelo prefeito Papa, é que em breve o bonde italiano nº 3265, doado pela cidade de Turim e que se acha em circulação desde setembro de 2010, será transformando em unidade temática focalizando o café. O projeto, em parceria com o Museu do café de Santos, prevê a ambientação do veículo com imagens do produto tipo exportação, além de comercializar internamente bebidas derivadas do grão e exalar seu aroma pelo Centro. "O bonde ajudará a divulgar o café de Santos para todo o mundo", disse o chefe do Executivo.

Na opinião da secretária municipal de Turismo, Wânia Seixas, o bonde foi o grande incentivador do "ressurgimento" da região central. "Antes de ele passar pela Rua do Comércio, havia poucos estabelecimentos nesta área, o que foi se transformando com o tem po". Como prova do sucesso, a secretária lembra que a imagem do bonde acabou sendo escolhida como logomarca da cidade. E o passeio virou uma referência turística.

Para o presidente do CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Santos, Paulo Latrova, a linha do bonde foi um importante estímulo para alavancar o comércio do Centro. "A sua criação trouxe de volta moradores e turistas que não vinham mais para cá. E todos são clientes em potencial".

Emoção e saudade

Os bondes elétricos começaram a operar na cidade em 1909, sendo desativados em 1971. O seu retorno por meio de uma linha turística, em 23 de setembro de 2000, trouxe resultados consideráveis: revitalização de imóveis históricos, retorno dos santistas ao Centro Histórico e impulso ao turismo e comércio nesta área. Mas também trouxe o que não pode ser mensurado: a alegria de novos e antigos passageiros.

A exemplo de Nilza Calarge, que se recorda da época em que os filhos utilizavam esse meio de tran sporte. "Eles eram adolescentes e pegavam a linha 37, que passava pela Avenida Ana Costa, para irem à escola. Era um transporte muito gostoso, mais lento e sem essa correria dos tempos atuais. Hoje, virou uma atração turística muito prazerosa".

O mesmo é destacado pelo casal Cinthia e Leonardo Zeclinski, e o filho Álvaro (10 anos), de São José dos Campos. Eles ganharam em sorteio, do programa Santos Vai ao Interior - parceria entre PMS e a rede hoteleira local - direito a hospedagem e passeios turísticos no final de semana. E aprovaram: "O passeio mantém a história e preserva a memória da cidade", disse Leonardo.

Já Aderbal De Godoy trabalhou como motorneiro entre 1954 e 1971. No ano 2000, com a criação do passeio no Centro, retornou ao trabalho por meio do projeto Vovô Sabe Tudo, da Prefeitura Municipal de Santos (PMS). "Estava em casa parado e doente. Depois que voltei eu vivi mais. Hoje converso com muita gente, conto histórias para turistas de diversos lugares do Brasil e do mundo. O bonde nunca deveria ter acabado".

Outro amante desse meio de transporte, o historiador Waldemar Corrêa Stiel, autor dos livros História do Transporte Coletivo em São Paulo e História do Transporte Urbano no Brasil, destaca que Santos foi referência no setor. "Entre as décadas de 1910 e 1920, a cidade teve o melhor serviço da América Latina, com o maior número de bondes por habitante".

 

Veja tambÉm: