Mercado

Viagem de Dilma à China foi salto na relação comercial entre países

 

postado em 20/04/2011 | Há 6 anos

Brasil Econômico

ESPECIAL
20/04/2011
 
Viagem de Dilma à China foi salto na relação comercial entre países
Mesmo com vários acordos fechados para aumento das exportações de produtos com valor agregado, presidente ponderou que o Brasil ainda quer mais do comércio com o país asiático
 
De volta de uma viagem de quase uma semana à China, a presidente Dilma Rousseff afirmouque a visita foium“salto de qualidade” na relação entre os dois países. Dilma disse estar confiante na cooperação entre a potência asiática e o Brasil e
“muito satisfeita”comos resultados obtidos, ou seja, como fechamento de diversos acordos.

“Acho que foi um salto de qualidade nas nossas relações. Mas ainda queremos mais”, afirmou no programa de rádio Café com a Presidenta, destacando que pretende ampliar a venda de produtos mais elaborados à China, e não apenas de matérias-primas.

Dilma participou, na última semana, de uma série de encontros no país asiático. Em comunicado conjunto o presidente chinês,Hu Jintao, comprometeu-se a incentivar a importação de produtos nacionais com mais valor agregado. Os dois países tambémfecharam acordos na área de ciência e tecnologia, petróleo e comércio.

Durante a viagem da presidente, a estatal chinesa da área de comunicação ZTE informou que pretende abrir uma fábrica no interior de São Paulo, um investimento de mais de R$ 350 milhões, segundo Dilma. Também foi anunciado durante a visita oficial que a Foxconn estuda investir R$19 bilhões em um novo parque industrial no país. “A viagem foi bastante proveitosa. Eu diria que foi muito bem-sucedida, porque nós alcançamos o nosso principal objetivo: o de abrir as portas para que mais produtos brasileiros, produtos mais elaborados, entrassem na China.”

A presidente também afirmou que o Brasil deve lançar em parceira com a China maisd ois satélites para monitorar a agricultura e a Amazônia. Dilma participou de mais dois encontros, entre países do Brics e do fórum econômico na cidade chinesa de Boao, que reuniu empresários e líderes de países asiáticos. De acordo com a presidente, com a Rússia, Índia e China, foram discutidos o controle da especulação financeira e mais equilíbrio no comércio internacional, além do combate à pobreza.

INOVAÇÃO AGRÍCOLA
Os encontros também permitiram a assinatura de um termo de cooperação em produtos e serviços de defesa e de um memorando de entendimentos com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para pesquisa de inovação agrícola. Além disso, os países fecharam acordo para troca de experiências na organização de grandes eventos, visando a realização da Copa de 2014 eda Olimpíada de 2016.

Outras parcerias em áreas como energia (entre a Eletrobras e a State Grid), petróleo (entre a Petrobras e a Sinochem) também foram firmadas. O desenvolvimento de biocombustíveis foi outro tema da pauta.
REDAÇÃO COM AGÊNCIAS
 
 

 

Veja tambÉm: