Tecnologias

Propriedade rural em Ouro Preto do Oeste é referência para Emater

 

postado em 30/03/2010 | Há 7 anos

Folha de Rondônia

AGROPECUARIA
30/03/2010 
 
Propriedade com mais de 15 hectares, será sede de Dia de Campo da Emater, em Ouro Preto
 
A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), e a Emater promoverão em breve em Ouro Preto do Oeste, um Dia de Campo que vai mostrar várias atividades desenvolvidas numa única propriedade rural que é referencial por receber acompanhamento de uma equipe multidisciplinar de extensionistas de órgãos do governo, com apoio da Ceplac.

A propriedade, com pouco mais de 15 hectares, pertence ao ex-vereador Valdinei Santos Moitinho, o “Baianinho”, e fica localizada no travessão 04 da rodovia 470 (Linha 81) – o acesso pela via no fim da Daniel Comboni a distância é de três quilômetros da cidade.

Na ocasião do Dia de Campo, a Emater vai expor o modelo de revejetação adotado no plano de reflorestamento da nascente do sitio. O evento terá estande de piscicultura, estande de avicultura, e de plantações consorciadas de banana com cacau, banana com café e com outras espécies.

O agrônomo Elias Monteiro da Silva, da Emater de Ouro Preto, explica que na propriedade a execução do programa de agricultura é semi-intensivo, e destaca a criação de frangos semi-confinados em áreas de pasto com divisórias. O roço das áreas com emprego de roçadeiras mecânicas manuais é outra tarefa rotineira.

A criação recebe alimentação complementar, e no sítio experimental todos os resíduos (troncos e folhas de bananeira mal-formados, folhagem do cacaueiro e das fruteiras), e até o esterco de galinha são reaproveitados. Para um melhor aproveitamento do material utilizado para a compostagem, Baianinho foi orientado a instalar lixeiras na propriedade para os trabalhadores fazerem a separação do material orgânico e o lixo doméstico (Plásticos e vidros).

O experimento é novo, porém as bananas já estão sendo colhidas. A estimativa de colheita do plantio de café e de cacau (de 1 ano e meio), é para o próximo ano. Na área de atividades de piscicultura, foram construídos três tanques de criatório de peixes que estão produzindo diversas espécies. As três represas – sendo uma para manejo, somam 14,100 metros quadrados, e foram construídas em uma área medindo 1,41 hectares. De acordo com a engenheira de pesca Maria Mirtes, da Emater, a projeção de produção nas duas represas maiores é de 7 toneladas por ano.

Os técnicos separam as atividades executadas na propriedade por módulos, e classifica a evolução das experiências por placas. “Quando iniciamos trabalho na propriedade quase todas as placas eram vermelhas. Hoje, as atividades em processo de melhora recebem placa amarela, e onde tudo está ok a placa é verde”, detalha o agrônomo. 

 

Veja tambÉm: