Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. não operou nesta segunda-feira devido ao feriado de Martin Luther King

 

postado em 20/01/2009 | Há 8 anos

Infocafé de 19/01/09    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 270,00 R$ 260,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 270,00 R$ 260,00 Março/2009 115,80 Feriado
Alta Paulista/Paranaense R$ 260,00 R$ 250,00 Maio/2009 117,85 Feriado
Cerrado R$ 273,00 R$ 263,00 Setembro/2009 121,60 Feriado
Bahiano R$ 260,00 R$ 250,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 233,00 R$ 230,00 Março/2009 127,75 -0,65
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 235,00 R$ 233,00 Maio/2009 131,05 -0,95
Dólar Comercial: R$ 2,3320 Setembro/2009 137,90 -0,30

  A bolsa de mercadorias de N.Y. não operou nesta segunda-feira devido ao feriado de Martin Luther King nos Estados Unidos, na BMF a posição março registrou no fechamento - 0,65 pontos. No interno permanece a boa procura, porém a ausência dos trabalhos em N.Y. limitaram as negociações.
  O dólar fechou com queda de 0,17%. As  empresas de comércio exterior praticamente não atuaram e as tesourarias de instituições financeiras que operaram adotaram a cautela, por causa do risco maior de perdas decorrente da liquidez fraca, segundo um operador de tesouraria de um banco estrangeiro.

A expectativa nas mesas de negociação é de que o volume de negócios possam 
melhorar um pouco amanhã em meio à retomada dos mercados norte-americanos e à posse do presidente eleito, Barack Obama. De todo modo, os investidores devem ficar em compasso de espera pela decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central, na quarta-feira, por causa da grande dúvida no mercado sobre o tamanho da redução esperada da taxa Selic este mês. O mercado de juros futuros prevê um corte de 0,75 ponto porcentual na taxa básica brasileira. Contudo, diante do fechamento de 654.946 empregos formais no País em dezembro, o pior resultado mensal da série histórica, algumas instituições do mercado já estão elevando suas projeções de corte da Selic este mês.
  O Funcafé, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assinou convênio com a Fundação de Apoio à Tecnologia Cafeeira (FunProcafé) para geração e difusão de tecnologia, atendimento laboratorial, controle fitossanitário e capacitação de pessoal  para os cafeicultores de Minas Gerais. Trata-se do Programa de Desenvolvimento Tecnológico Regional da Cafeicultura que vai até dezembro de 2010.
  Entre as atividades previstas, estão a manutenção de campos experimentais e infraestrutura laboratorial e de demonstração para os trabalhos técnicos nos campos de Patrocínio, Varginha, Boa Esperança, Carmo de Minas, Varjão de Minas, Pirapora, Martins Soares, Coromandel e em outras propriedades. Também foram programados cursos, dias de campo, publicações de boletins técnicos e realização do Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras.

  De acordo com o último levantamento da Conab (janeiro/2009), a produção em Minas Gerais deverá ficar entre 17,9 milhões a 18,8 milhões sacas de café beneficiados, redução entre 23,9 e 20% em relação à safra anterior (23,5 milhões de sacas), em uma área estimada em 1,007 milhão de hectares, retração média de quase 4% comparado à temporada passada (1,048 milhão de hectares). Nas regiões sul e centro-oeste de MG a redução de área chega a quase 7% devido à adoção de práticas de podas e erradicação da lavoura. MG contribui com perto de 49% da produção nacional que deverá colher este ano (ciclo de produção baixa) entre 36,9 e 38,8 milhões de sacas de café, em 2,122 mil hectares. As informações são d o Portal do ministério da Agricultura. Maiores detalhes 
sobre os trabalhos da FunProcafé no Relatório de Atividades do Funcafé 2007 (páginas 38 a 42) ou no site www.fundacaoprocafe.com.br  

  De 10 a 13 de fevereiro, o Sindicafé-SP (Sindicato da Indústria do Café do Estado de São Paulo) promove o Curso Avançado de Avaliação de Café - Metodologia SCAA (6ª Turma), que será realizado no CPC (Centro de Preparação de Café) do Sindicato. O curso, ministrado por Ensei Neto, consultor, Juiz Certificado SCAA e membro do TSC-SCAA (Comitê de Normas Técnicas da Specialty Coffee Association of America), faz parte de uma série de iniciativas criadas após a celebração da Carta de Cooperação Técnica entre a SCAA e a Abic (Associação Brasileira da Indústria do Café), proporcionando aos profissionais brasileiros acesso aos Normativos e à Metodologia SCAA de Avaliação de Café, que é a referência no mercado dos Cafés Especiais.

A metodologia permite maior precisão na avaliação sensorial de cafés, principalmente para os Cafés Especiais, que possuem características de aroma e sabor marcantes e específicas, através de modelo objetivo. Utilizando sólida base científica, o método SCAA apresenta nova perspectiva para compreender a origem e percepção das diferentes notas de aroma e sabor nos cafés, constituindo-se em poderosa ferramenta para a seleção e apresentação de excelentes cafés para o consumidor.

Com carga horária de 32 horas, este módulo possui conteúdo centrado no aperfeiçoamento das habilidades sensoriais, principalmente olfativas e gustativas, através de diversos exercícios especialmente desenvolvidos, além de temas como “Compreendendo os Sabores Básicos”, “Ácidos Orgânicos”, “A Roda de Aromas & Sabores SCAA” e “Influência da Torra no Sabor do Café”. Mais informações podem ser obtidas no CPC do Sindicafé, através do telefone (11) 3258-7443 ou pelo site www.sindicafesp.com.br . (Com informações da Abic).

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini Negócios em Café
Telefax: (19) 3651 1415 | Rua Cel. Joaquim Vergueiro, 22 - Cep: 13.990-000 - Esp. Sto. do Pinhal - SP.

 

Veja tambÉm: