Produção

BRASIL SEDIA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO AGRONEGÓCIO

A diretora executiva da Nuffield no Brasil, a australiana Sally Thomson, explica que essa Conferência proporciona aprendizado intenso e real sobre problemas, oportunidades e tendências do agronegócio mundial, além de estabelecer laços entre os participant

 

postado em 10/01/2017 | Há 3 meses

Brasília/São Paulo, 10 – Pela primeira vez, a principal conferência da Nuffield International, entidade sem fins lucrativos que estimula pesquisas práticas e coordena uma rede mundial de profissionais do agronegócio, será realizada na América Latina, tendo Brasília como sede. A Conferência de Novos Bolsistas Nuffield (Contemporary Scholars Conference, CSC, em inglês) acontecerá de 11 e 19 de março e terá cerca de 100 conferencistas – sete são brasileiros –, profissionais do agronegócio de 14 países, além de convidados e palestrantes para ocasiões específicas.

A diretora executiva da Nuffield no Brasil, a australiana Sally Thomson, explica que essa Conferência proporciona aprendizado intenso e real sobre problemas, oportunidades e tendências do agronegócio mundial, além de estabelecer laços entre os participantes que passam a integrar a rede Nuffield. “Mentes de destaque da agricultura mundial se dedicam a questões de produção de alimentos, distribuição e gestão dos negócios do setor a partir de uma visão global, mas objetivando propor e implementar ações locais”, explica.

A Conferência é formatada de modo a permitir a integração dos 80 novos bolsistas selecionados em 2016 entre si, com lideranças do agronegócio de vários países e também à “cultura Nuffield”, sintetizada na disposição de buscar soluções e compartilhá-las com a rede internacional de participantes.

Na avaliação de Sally Thomson, “é uma oportunidade única de engajamento com líderes atuais e futuros da agricultura mundial.” A Nuffield tem por objetivo fomentar ações e discussões que devolvam conhecimento, habilidades e relacionamentos capazes de fazer “a diferença” no mundo agrícola, explica Sally. A entidade atua há quase 70 anos e já concedeu mais de 1.600 bolsas de pesquisa. O Brasil se tornou país associado em 2013, mas desde 2007 recebe grupos de bolsistas.

Na condição de conferencista, participarão apenas sete brasileiros. Carla Borges e Murilo Bettarello foram selecionados no final do ano passado, como bolsistas – cada um receberá US$ 30 mil para desenvolver pesquisa durante 16 semanas, viajando pelo exterior e estudando individualmente –, outros três acabam de ser escolhidos especificamente para a Conferência e há ainda dois convidados pela Bayer Crop Science, empresa apoiadora da entidade no País.

SELECIONADOS PARA CONFERÊNCIA - Os brasileiros selecionados para a Conferência global da Nuffield 2017, a partir da análise de suas experiências profissionais e entrevistas, são Alf de Wit, Elder Bruno e Pedro Magalhães. Os três são engenheiros agrônomos e demonstram forte interesse por busca e compartilhamento de soluções para o setor, em linha com a “cultura Nuffield”.

Descendente de holandeses, Alf de Wit cresceu em Holambra (SP), onde sua família trabalha, há gerações, com horticultura e flores. Formou-se em engenharia agronômica pela Esalq/USP, tem mestrado pela Universidade de Wageningen (Holanda) e também fez MBA na Fundação Getúlio Vargas. Em sua carreira, conta com passagem pelo setor de flores de corte na Etiópia e, nos últimos anos, tem trabalhado numa indústria de tabaco (folhas de capa para charutos) em Cruz das Almas (BA). Sua área de interesse combina  projetos hortícolas e gestão da produção intensiva de hortifrutícolas em geral, o que abrange pesquisas sobre sistemas de produção, construção e cultivo em estufas.

Elder Bruno também vem de família de produtores rurais. Graduado pela Esalq/USP, com passagem pela Universidade de Wisconsin-Madison (Estados Unidos), tem MBA em Gestão Estratégica pelo Centro Universitário UNA. Além do Brasil, teve experiências na Nova Zelândia e Itália, acumulando conhecimento sobre os setores de pecuária de corte e de leite, soja/milho e floresta. Sócio-proprietário da Consultoria ITN Agro, com sede em Goiânia, Elder tem compartilhado conhecimentos técnicos e estratégicos com seus clientes, que são investidores brasileiros e também estrangeiros. Seu foco tem sido a execução e consultoria de projetos com resultados superiores.

Engenheiro agrônomo pela Universidade Federal do Paraná, Pedro Magalhães reside em Curitiba e tem suas atividades relacionadas à agricultura de precisão, além de cultivar soja/milho. Com forte interesse por tecnologia para a agricultura, Pedro é cofundador e atual presidente da Associação Brasileira dos Prestadores de Serviço em Agricultura de Precisão, que reúne mais de 50 membros. É também proprietário da Agrotecnologia Serviços e Produtos, que presta serviço direto a produtores e cooperativas, além de distribuir no Brasil produtos, softwares e hardwares de empresas nacionais e estrangeiras.

EM BUSCA DE SOLUÇÕES – Na avaliação da economista Cecília Fialho, primeira brasileira a se tornar bolsista Nuffield, em 2015, a Conferência de Novos Bolsistas (CSC) é uma oportunidade única para serem revistos conceitos e criadas novas perspectivas para o setor. “É um ‘alongamento da mente’, em que pessoas brilhantes, selecionadas a dedo em vários países participam de atividades com grandes nomes do setor e, juntos, discutem problemas e soluções para o agronegócio. O perfil dos bolsistas é muito diversificado e todos são chamados a participar o tempo todo”, explica Cecília. 

Cada país membro e associado da Nuffield convida líderes para palestrar sobre o seu agronegócio, numa dinâmica que estimula a participação dos demais conferencistas a qualquer momento. São realizados também workshops, discussões em mesas redondas, com alternância dos participantes, e visitas a empreendimentos que são exemplo de inovação no agronegócio nacional.

Durante o evento, os novos bolsistas também conhecem os seus companheiros do grupo de viagens (Global Focus Program), com quem farão visitas a seis ou sete países posteriormente à Conferência, sob orientação de membros da rede Nuffield. Na etapa seguinte às visitações, o pesquisador-bolsista realiza estudos individuais sobre seu tema e, ao final de dois anos, apresenta relatório e faz apresentação pública de suas contribuições.

Mais informação:  www.nuffield.com.br    e   www.nuffieldinternational.org

 

Veja tambÉm: