Consumo

Café de Piatã - Bahia é eleito o melhor do Brasil por Júri Técnico da ABIC

O microlote da produtora Letícia Conceição Quintela de Alcântara recebeu a maior pontuação em qualidade global no Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café: 8,60 pontos. Faltam agora as notas de Sustentabilidade e do Júri Popular

 

postado em 18/12/2017 | Há 2 meses

A etapa do Júri Técnico do 14º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café foi realizada no laboratório do Sindicato das Indústrias de Café do Estado de São Paulo. Foram selecionados 11 lotes finalistas, após avaliação da Qualidade Global conforme metodologia do PQC – Programa de Qualidade do Café, atribuindo-se uma pontuação de Zero a 10 pontos para cada um.

O microlote da cafeicultora Letícia Alcântara, produzido na Fazenda Divino Espírito Santo, no município de Piatã na Bahia, recebeu a maior avaliação do grupo técnico: 8,60 pontos. Em segundo lugar, ficou o lote de café cereja descascado produzido por Antônio Rigno de Oliveira em São Judas Tadeu, em Piatã, Bahia, com 8,53 pontos. E em terceiro, mais um microlote: o do produtor Manoel Protázio de Abreu, do Sítio Forquilha do Rio, de Dores do Rio Preto, Espírito Santo, com 8,52 pontos.

A pontuação do Júri Técnico corresponde a 70% da nota final de cada lote inscrito. Faltam agora as notas de sustentabilidade da propriedade, com peso de 15%, e a avaliação do Júri Popular, integrado por consumidores, cuja pontuação equivale aos 15% restantes. Essas duas inovações foram incorporadas ao regulamento em 2015,

O Júri Técnico foi composto pelos especialistas Camila Arcanjo e Isabela Cristina Abreu do Monte, do GAC – Grupo de Avaliação do Sindicafé - São Paulo, Kátia Cipolli e Gina Maria Bueno Quirino Cardo, do ITAL, e Isabela Leite, do Escritório Carvalhaes. Eles avaliaram a qualidade dos cafés na xícara, pontuando notas para atributos como fragrância, aroma, acidez, amargor, adstringência, corpo e sabor. A metodologia do PQC, criada há mais de dez anos pela Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), é única no mundo, pois analisa as propriedades do café já torrado e moído, da mesma forma que o consumidor encontra nas prateleiras dos supermercados.

Todos os lotes inscritos no Concurso Nacional foram selecionados pelos certames oficiais dos seguintes Estados produtores: Bahia, Minas Gerais,  Espírito Santo, Paraná e São Paulo.

Conforme calendário do Concurso, de 22 a 26 de janeiro será realizado o Júri Popular, com a participação de consumidores dos Estados participantes. No dia 30 de janeiro serão divulgados o café campeão e a relação dos finalistas. De 30 de janeiro a 08 de fevereiro acontecerá o leilão desses cafés, aberto a torrefadoras, cafeterias e demais pessoas jurídicas interessadas. No dia 09 de fevereiro serão divulgadas as empresas campeãs do leilão, que são aquelas que deram os maiores lances. Todos os cafés serão industrializados e chegam aos consumidores em abril, compondo a 14ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil.

1ª ETAPA – CLASSIFICAÇÃO DO JÚRI TÉCNICO

1a Etapa - CLASSIFICAÇÃO  JURI TÉCNICO

Classif.

Categoria

Nome

Propriedade

Cidade

UF

QG

1°

Micro Lote

Leticia Conceição Quintela de Alcântara

Fazenda Divina Espírito Santo

Piatã

BA

8,60

CD

Antônio Rigno de Oliveira

Fazenda São Judas Tadeu

Piatã

BA

8,53

Micro Lote

Manoel Protázio de Abreu

Sítio Forquilha do Rio

Dores do Rio Preto

ES

8,52

CD

Sebastiana de Oliveira Faria

Fazenda São Domingos

Espera Feliz

MG

8,50

Natural

Eufrásio Souza Lima

Sítio Boa Vista

Vitória da Conquista

BA

8,43

Micro Lote

Carlos Eduardo Mengali

Sítio Laranjal

Divinolândia

SP

8,42

Natural

Onofre Alves de Lacerda

Forquilha do Rio

Espera Feliz

MG

8,40

Natural

Ademir Abreu de Lacerda

Sítio Pedra Menina

Dores do Rio Preto

ES

8,28

CD

Santa Jucy Agroindustrial

Fazenda Santa Jucy

Cássia do Coqueiros

SP

8,13

10°

Micro Lote

Rosa Moreira do Carmo dos Santos

Chácara Olho D'Agua

Cambira

PR

7,85

11°

Natural

Marcio Rogério Boraneli

Fazenda Estrela D'Alva

Curiuva

PR

7,55

 

Fonte: ABIC
 

Veja tambÉm: