Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. fechou a terça-feira em baixa

A bolsa de N.Y. fechou a terça-feira em baixa, a posição março oscilou entre a máxima de +0,25 pontos e mínima de -1,50 fechando com -1,10 pts.

 

postado em 05/12/2017 | Há 1 semana

MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.  
Sul de Minas R$ 460,00 R$ 440,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 460,00 R$ 440,00 Março/2018 127,40 -1,10
Alta Paulista/Paranaense R$ 450,00 R$ 430,00 Maio/2018 129,55 -1,15
Cerrado R$ 465,00 R$ 445,00 Julho/2018 131,80 -1,15
Bahiano R$ 450,00 R$ 430,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Futuro 2018 - 6/7 15%cat R$ 475,00 R$ 465,00 Dezembro/2017 160,10 +0,10
Futuro 2019 - 6/7 15%cat R$ 530,00 R$ 520,00 Março/2018 160,50 -2,10
Dólar Comercial: R$ 3,2340      

O dólar comercial fechou em queda de 0,40%, cotado a R$ 3,2340. Investidores continuavam de olho nas negociações para votar a reforma da Previdência. Além disso, a atuação do Banco Central no mercado de câmbio ajudou a levar o dólar para baixo. Pela manhã, foram vendidos todos os 14 mil contratos de swaps cambiais tradicionais (equivalentes à venda futura de dólares). À tarde, o BC vendeu outros US$ 2 bilhões com o compromisso de recomprá-los futuramente.

As exportações de café verde do Brasil em novembro tiveram queda de cerca de 10% na comparação com igual mês de 2016, mostraram dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados nesta sexta-feira. O país exportou 2,7 milhões de sacas de 60 kg de café em novembro, ante 2,64 milhões em outubro e 3 milhões há um ano. Com isso, o volume embarcado no acumulado de 2017 foi a quase 25 milhões de sacas, ante 27,5 milhões de sacas em igual período de 2016, e confirma a expectativa de que o país fechará o ano com embarques menores pelo segundo ano consecutivo. Maior exportador global de café, o Brasil vem perdendo seu peso no comércio da commodity desde 2015, quando embarcou um volume recorde. O motivo por trás disso foi principalmente a quebra de produção de robusta no Espírito Santo em 2015 e 2016 por causa da seca, que apertou as reservas da variedade e fez o país perder clientes no exterior. Para 2018, a previsão também é de exportações também tímidas. Fonte: Reuters.

A 14ª edição do Concurso Estadual de Qualidades dos Cafés de Minas Gerais anunciou, nessa segunda-feira, dia 4 de dezembro, os ganhadores das principais regiões produtoras do Estado em premiação realizada na Cidade Administrativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Dos 33 finalistas, foram selecionados os 22 melhores cafés nas categorias Café Natural e Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado das regiões Cerrado Mineiro, Chapadas de Minas, Matas de Minas e Sul de Minas. Não houve 2º e 3º lugares na categoria Cereja da região Chapada De Minas. O Concurso contou com premiação para duas novas categorias: Mulher Empreendedora e Prêmio Sustentabilidade. O Concurso é o maior do país e, esse ano, recebeu um número recorde de 2.600 inscrições:
CERRADO MINEIRO - NATURAL- 1º lugar: Edson Hiroaki Tamekuni, de Campos Altos // 2º lugar: João Batista Montanari, de Patrocínio // 3º lugar: Célia Fukuda, de Patos de Minas - CEREJA - 1º lugar: Jorge Fernando Naimeg, de Patos de Minas // 2º lugar: Dimap S/A Prod. Siderúrgicos, de Pratinha // 3º lugar: Francisco Pinheiro Campos, de Patos de Minas.
CHAPADA DE MINAS - NATURAL - 1º lugar: Ecoagrícola Café Ltda, de Francisco Dumont // 2º lugar: Primavera Agronegócios Ltda, de Angelândia // 3º lugar: Dailton Antônio Ribeiro, de Diamantina - CEREJA -   1º lugar: Ecoagrícola Café Ltda, de Francisco Dumont // Não houve 2º e 3º lugares nesta categoria
MATAS DE MINAS - NATURAL - 1º lugar: Onofre Alves de Lacerda, de Espera Feliz // 2º lugar: Leônio Carlos Filho, de Araponga // 3º lugar: Edmar Lopes, de Araponga - CEREJA - 1º lugar: Sebastiana de Oliveira Faria, de Espera Feliz // 2º lugar: Sandra Leles da Silva, de Araponga // 3º lugar: Paulo Henrique Miranda, de Araponga
SUL DE MINAS - NATURAL - 1º lugar: Flávio Roberto Carvalho Ferraz, de Dom Viçoso // 2º lugar: Samanta Maria Faleiros Corrêa, de Cássia // 3º lugar: Antônio Rogério de Paula, de Oliveira - CEREJA - 1º lugar: João Onofre da Silva, de São Pedro da União // 2º lugar: Letícia Maria Ribeiro de Carvalho, de Dom Viçoso // 3º lugar: Gláucio Carneiro Pinto, de Carmo de Minas.
VENCEDORES DA VIAGEM - Edson H. Tamekuni (Cerrado Mineiro) // Ecoagrícola Café Ltda (Chapada de Minas) // Sebastiana de Oliveira Faria (Matas de Minas) // Flávio Roberto Carvalho Ferraz (Sul de Minas) // Regivaldo Dias (Extensionista da Emater-MG em Araponga)
MULHER EMPREENDEDORA - Sebastiana de Oliveira Faria, de Espera Feliz
PRÊMIO SUSTENTABILIDADE - Onofre Alves de Lacerda, de Espera Feliz.
Para matéria completa acessem https://goo.gl/igHvbJ . Fonte: Asscom Atlantica Coffee via Notícias Agrícolas.
Instagram: mellaomartinicafe

 
Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini

 

Veja tambÉm: