Estatísticas

OIC eleva estimativa da produção mundial de café 2016/17

A Organização Internacional do Café (OIC), e seus números, foi destaque no mercado internacional nesta semana, trazendo pressão de baixa sobre as cotações nas bolsas com as estimativas apresentadas.

 

postado em 10/11/2017 | Há 1 semana

Porto Alegre, 10 de novembro de 2017 – A OIC em novo relatório elevou na terça-feira sua estimativa para a produção global da commodity na safra 2016/17 para um recorde de 157,4 milhões de sacas, impulsionada em grande por parte por uma revisão na colheita de arábica no México e na América Central. 
 
"O aumento significativo da produção no México e na América Central é em grande parte atribuído ao incremento de safra em Honduras, à recuperação após o surto de ferrugem na região e ao clima benéfico", informou a OIC em relatório. Anteriormente, a entidade estimava uma produção global de 153,9 milhões de sacas em 2016/17. Assim, a OIC indica um crescimento de 3,4% na safra mundial no comparativo com 2015/16.
 
A produção de café no México e na América Central foi projetada em 20,3 milhões de sacas, ante 17,7 milhões de sacas na previsão anterior, com alta de 16,3% sobre a temporada passada. 
 
A produção global de arábica em 2016/17 foi revisada para 101,6 milhões de sacas, ante 97,3 milhões de sacas na estimativa anterior e alta de 14,7% sobre 2015/16. 
 
Em relação ao robusta, a produção foi cortada levemente para 55,9 milhões de sacas, ante 56,6 milhões de sacas na previsão anterior e queda de 12,2% na comparação com o ciclo passado. 
 
O aumento da produção de café deve levar a um superávit, com o consumo global previsto em 155,1 milhões de sacas, queda marginal de 0,3 por cento em relação ao ano anterior.

"Dado o aumento da produção global de café e um consumo estável, o ano de 2016/17 deve ter um superávit após dois anos consecutivos de déficit, com a produção excedendo o consumo em 2,38 milhões de sacas", disse a OIC 
 
Exportações Brasileiras

As exportações totais brasileiras de café (verde e industrializado) atingiram 2.747.367 sacas de 60 quilos em outubro, segundo relatório divulgado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Assim, os embarques tiveram queda de 18,3% no comparativo com igual mês do ano passado, quando as exportações foram de 3.363.064 sacas.

A receita com esses embarques foi de US$ 460,136 milhões, com diminuição de 19,9% no comparativo com outubro de 2016 (US$ 574,709 milhões).

O mês de outubro apresentou um aumento de 13,2% no volume de exportações de café brasileiro na comparação com o mês anterior, de acordo com o relatório.

No acumulado do ano civil (janeiro a outubro de 2017), o Brasil já exportou mais de 24,7 milhões de sacas, o que representa uma queda de 10,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita cambial também seguiu o mesmo movimento, chegando a US$ 4,2 bilhões. Entre as variedades embarcadas, o café arábica correspondeu por 87,8% do volume total de exportações (21.718.328 sacas), seguido pelo solúvel com 11,3% (2.803.495 sacas) e robusta com 0,8% (208.276 sacas).

Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

 

Veja tambÉm: