Comércio

A importância de proteger o estoque de café através de um seguro apropriado Por Salvador Franco*

 

postado em 31/10/2017 | Há 3 semanas

 
Em nossa atividade como corretores de seguros especializados em médias empresas e, principalmente, no seguimento do café, encontramos uma dificuldade em amparar o estoque de maneira mais adequada, visto que o estoque de café sofre alteração de volume conforme a safra e de valor conforme a variação da bolsa de commodities.

Estas variações afetam diretamente a maneira de contratação do seguro, já que a cláusula de rateio traz um risco muito grande do segurado ao ser obrigado a participar do eventual prejuízo, podendo até entrar em uma dificuldade financeira de grande monta.

Para melhor compreensão vamos explicar: uma cooperativa que recebe no ano 350.000 sacas de café durante a safra com início em junho, sendo que no mês de junho tem estocada 80.000 sacas no valor de R$ 450,00 em média cada saca, inicia o seguro com uma verba de R$ 36.000.000,00, porem no mês de julho seu estoque vai para 150.000 sacas e o valor a ser seguradora salta para R$ 67.500.000,00 obrigando o cliente a solicitar a emissão de endosso na apólice a fim de não ocorrer um sinistro e ele ser pego de surpresa.

O problema é que ele só tem conhecimento deste fato após o ocorrido e não tem como prever esta variação de estoque a não ser que venha a contratar o seguro com o valor estimado a maior correndo o risco de pagar prêmio sem ter a mercadoria em seu armazém.

No exemplo acima se houver sinistro de R$ 30.000.000,00 e no momento do sinistro a verba segurada for de R$ 36.000.000,00, mas o estoque for de R$ 67.500.000,00 ele de fato receberá apenas R$ 16.000.000,00 e terá que bancar o prejuízo de R$ 14.000.000,00.

Para complicar ainda mais a situação, em muitos armazéns o café estocado está isento de imposto por se tratar de mercadorias destinadas à exportação. E, em caso de sinistro, o proprietário, ao receber a indenização, será obrigado a pagar imposto como venda interna devendo recolher ICMS (de 12% a 18%). 

Com estes fatores complicadores, o segurado deve em primeiro lugar evitar fazer o seguro de qualquer maneira, em qualquer lugar, com pessoas que não conheçam bem esta atividade, procurando um corretor de seguros com expertise a fim de apresentar uma solução que atenda estas questões dando a ele total cobertura sem que ele venha a pôr em risco seu negócio.

* O autor é diretor da Visafran.

 

Veja tambÉm: