Tecnologias

Cientistas debatem o desaparecimento das abelhas

Nos últimos anos as abelhas melíferas têm sofrido com a Desordem do Colapso da Colônia - CCD e tem desaparecido em muitos locais do mundo, possivelmente até em certas áreas do Brasil.

 

postado em 02/10/2017 | Há 2 meses


Com a perda de colônias, têm ocorrido muitos prejuízos na agricultura, inclusive com uma redução significativa na produção de alimento. Por essa razão, começa-se a pensar na utilização de outras espécies de abelhas, entre elas abelhas solitárias e abelhas nativas sem ferrão, de maneira mais efetiva. Para que isso ocorra, são necessários conhecimentos detalhados sobre o manejo e uso específico em determinados agroecossistemas, antes que se possam usar amplamente os serviços de polinização de abelhas que não sejam sejam Apis.

Ainda hoje a causa da CCD não foi definida. Acredita-se que uma interação de fatores pode estar interferindo no sistema imunológico das abelhas e causando o problema; o fatores mais pesquisados são: o ácaro Varroa destructor, o fungo Nosema ceranae, alguns vírus, pesticidas, em especial do grupo de neonicotinoides, e manejo intensivo e estressante. No Brasil, embora alguns casos tenham levado a suspeita de ocorrência dessa síndrome, ainda não houve uma comunicação oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento da existência da CCD.

O problema do desaparecimento das abelhas vem preocupando especialistas, organizações governamentais e não governamentais em todo o mundo, entretanto, a Desordem do Colapso das Colônias não é a única responsável por essas perdas. Pragas e doenças, uso indiscriminado de agrotóxicos, mudanças climáticas, desmatamento e fragmentação de matas e florestas também contribuem para agravar o problema. Esses fatores vêm sendo discutidos internacionalmente e no Brasil. Essa redução na fauna desses polinizadores apresenta efeito direto sobre a produção e o custo de culturas ricas em vitaminas, como frutas e vegetais, levando ao estabelecimento de dietas desbalanceadas e a problemas de saúde.

No passado, o serviço de polinização era prestado naturalmente, sem apresentar um custo adicional. No entanto, a expansão das áreas agrícolas e o aumento do uso de defensivos, evidenciaram o potencial efeito do declínio desses polinizadores sobre a produção de alimentos. Além desses fatores, as mudanças climáticas têm obtido um papel de destaque sobre o declínio dessa fauna de polinizadores, por meio da alteração no ciclo de crescimento, florescimento e maturação das culturas, afetando diretamente a biodiversidade associada a essas culturas.

Esse é o principal tema do “Simpósio de Perda de Abelhas no Brasil”, que acontecerá em Teresina, PI, de 16 a 18 de outubro de 2017. Várias palestras e um painel terão alvo as discussões sobre a perda de abelhas.
 

Veja tambÉm: