Mercado

Semana lenta no mercado físico de conilon da BA e do ES Por Renato Fernandes

No ES, onde a produção é mais pulverizada e há maior presença de maquinistas e pequenos comerciantes, até que há negócios a menos de R$ 400,00 / sc,

 

postado em 01/09/2017 | Há 3 meses

Olá pessoal,

Esta foi mais uma semana lenta no mercado físico de conilon da BA e do ES. Com torrefações comprando basicamente no spot e, segundo mencionam os agentes das traders, apertando bastante as margens.

Assim, a cotação do café tipo 7-8, 1 e 1, recuou para a casa de R$ 390,00/sc, já livres de frete e FUNRURAL. Alguns poucos negócios, um a dois reais acima disso, foram até fechados, mas apenas para casos de maior proximidade dos armazéns, lotes de tamanho maior e no início da semana.

No ES, onde a produção é mais pulverizada e há maior presença de maquinistas e pequenos comerciantes, até que há negócios a menos de R$ 400,00 / sc, mas, também nesse estado, os produtores se retraíram fortemente, desde que esse “piso psicológico” foi rompido. Na BA, onde a produção é mais concentrada e há número muito menor de pequenos comerciantes, houve pouquíssimos negócios, desde então.

Vale salientar que ainda continua havendo certo fluxo de comércio entre as médias traders regionais e as grandes multinacionais, que concentram, cada vez mais, o fornecimento para as maiores torrefadoras, apesar das primeiras ainda manterem certa parcela do suprimento dessa clientela.

Uma boa notícia que animou bastante os produtores, e a todos que transitam nas lavouras, foi a belíssima florada que se abriu nesta semana. No entanto, alguns agentes comerciais se apressaram em falar em grande safra de conilon em 2018 e até no restabelecimento da produção brasileira de canéfora pré-crise hídrica do ES.

Muita calma nessa hora! Uma superflorada (de fato houve) não é forte indicativo de explosão da produção. É, sim, um bom indicativo de boa qualidade na safra, por boa regularidade de maturação.  Quanto da florada vai vingar e chegar a grão, ainda é muito cedo para prever. Caso os prognósticos de regularidade climática, ou mesmo de ocorrência de La Niña, se confirmem, pode, sim, vir a ser uma ótima safra.

De qualquer sorte, por mais que a safra seja boa, creio que ainda não será em 2018 que a produção de brasileira de conilon vai retornar aos níveis de 2015. Mesmo o bom aumento de produção na BA e em RO não será suficiente para compensar a perda de área que ocorreu no ES, onde, vale salientar, o que foi replantado só produzirá a pleno em 2019.

Como, também nas regiões produtoras de arábica, houve um boa florada, a crença na safra brasileira de café recorde em 2018 vai se sedimentando, mas, isto não aponta para a não existência de entressafra daqui a até lá. Como menciono, há alguns dias, isso parece apontar para limitação de possíveis altas e para a curta duração dos fluxos de alta, sendo necessário estar atento e buscar ir aproveitando os bons momentos de preço.


Abraços,

Renato Fernandes

Link Representação
Teixeira de Freitas-BA
Celular/Whatsapp: 73 98802 7943

 

Veja tambÉm: