Tecnologias

INCT Café/UFLA recebe visita de pesquisadora da Universidade de Lisboa

O período da visita foi dividido entre a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a Universidade Federal de Lavras (UFLA), com atividades desde co-orientação de alunos, participação em banca de tese, seminários e cursos de análise proteômica.

 

postado em 29/08/2017 | Há 3 semanas

Com intuito de aprimorar conhecimento técnico e científico, a pesquisadora portuguesa Leonor Castro Esteves Guerra Guimarães, do Centro de Investigação das Ferrugens do Cafeeiro (CIFC), atualmente uma unidade de pesquisa do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, esteve durante três meses no Brasil a convite do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café), com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

O período da visita foi dividido entre a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a Universidade Federal de Lavras (UFLA), com atividades desde co-orientação de alunos, participação em banca de tese, seminários e cursos de análise proteômica. Participou também do 50º Congresso Brasileiro de Fitopatologia a convite do Prof. Mario Lúcio Vilela de Resende, coordenador do Painel sobre Interação Patógeno-Hospedeiro: Efetores, Elicitores e Respostas Induzidas, palestrando sobre “Abordagem proteômica para estudar a indução de resistência em plantas: o caso do cafeeiro”

Na UFLA, o curso de Proteômica que decorreu entre os dias 14 e 17 de agosto, teve a adesão de 35 participantes da comunidade acadêmica. A pesquisadora ressalta que a análise proteômica tem demonstrado um grande potencial na caracterização funcional dos genes. O estudo da diversidade biológica e físico-química das proteínas presentes num proteoma só pode ser realizado por equipes experientes de modo a tirar partido dos últimos avanços tecnológicos. A análise proteômica, como outras ômicas, são técnicas pouco convencionais que necessitam de ser divulgadas junto aos alunos, proporcionando o seu conhecimento e potencialidades.

A visita da pesquisadora se deve a uma parceria do INCT Café com o CIFC. Desde a sua fundação (1955) até o presente, o CIFC tem estabelecido uma rede de conexão com mais de 40 países produtores de café do mundo, incluindo o Brasil. Como resultado dessa interação foi obtido uma larga experiência com a cultura do cafeeiro e as doenças que o atacam, notadamente a ferrugem. Além disto, a identificação de raças de Hemileia vastatrix que ocorrem no Brasil tem sido realizada em colaboração com este centro. Vários estudantes de pós-graduação dos Departamentos de Fitopatologia da UFV e da UFLA já completaram suas pesquisas no CIFC. Em 2011, durante o VII Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil em Araxá, Minas Gerais, o Professor Mário Lúcio Vilela de Resende, coordenador do INCT Café, fechou parceria com a pesquisadora Leonor Guerra Guimarães. A partir daí foi desenvolvida cooperação com os Departamentos de Fitopatologia (DFP) da Universidade Federal de Lavras e da Universidade Federal de Viçosa e a EPAMIG, três das oito instituições que participam do INCT Café, além do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Vegetal da UFLA, Laboratório Central de Biologia Molecular (LCBM) da Universidade Federal de Lavras e Instituto de Biotecnologia Aplicada à Agropecuária (BIOAGRO) da Universidade Federal de Viçosa.

CIFC

Os investigadores do CIFC são especializados em Patologia Vegetal, Histopatologia, Genética e Melhoramento, Bioquímica e Biologia Molecular, e têm estado envolvidos em diversos projetos financiados pela FCT e UE englobando cientistas europeus e de países produtores de café. As instituições integrantes do INCT Café poderão beneficiar do conhecimento e contribuições da equipa do CIFC do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, com o qual foi assinado recentemente um protocolo de entendimento. Para mais informações acesse o link: http://www.isa.ulisboa.pt/cifc/apresentacao.

INCT Café

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) e faz parte de um dos maiores programas de Ciência e Tecnologia do Brasil. A rede de pesquisa tem por objetivo aprimorar as práticas de produção cafeeira por meio de tecnologias sustentáveis, desenvolvimento de modelos adaptados aos sistemas especializados de produção, melhoria da qualidade e competitividade da cadeia produtiva do café. Tem sua sede localizada na Agência de Inovação do Café – InovaCafé. Para mais informações acesse o link: http://www.inctcafe.ufla.br.

Ascom InovaCafé

 

Veja tambÉm: