Mercado

CARVALHAES, quarta semana consecutiva em que os contratos de café acumulam perdas em Nova Iorque

Isso acontece às vésperas do inverno no Brasil, com o país sem estoques governamentais, zerados pela primeira vez.

 

postado em 02/06/2017 | Há 6 meses

Boletim semanal - ano 84 - n° 22

Santos, sexta-feira, 2 de junho de 2017

A ICE Futures US, a bolsa de Nova Iorque, trabalhou em baixa esta semana e os contratos de café com vencimento em julho próximo acumularam perdas de 565 pontos no período. Está é a quarta semana consecutiva em que os contratos de café acumulam perdas em Nova Iorque. Os com vencimento em julho somaram nestas últimas quatro semanas 1015 pontos de baixa. Em reais por saca, significa que fecharam no último dia 5 de maio, sexta-feira, a R$ 570,28 e hoje, dia 2 de junho, a R$ 539,75.

Isso acontece às vésperas do inverno no Brasil, com o país sem estoques governamentais, zerados pela primeira vez. Os estoques privados estão historicamente baixos e ainda usaremos grande parte do que resta nos armazéns para, no decorrer deste mês de junho, o último do ano safra 2016/2017, abastecermos nosso consumo interno (aproximadamente 1,7 milhão de sacas mensal) e nossas exportações (neste último mês deverão somar algo entre 2 e 2,5 milhões de sacas). Portanto ainda deverão desaparecer no decorrer deste mês de junho de 3,7 a 4,2 milhões de sacas de nossos estoques privados. Quanto teremos de estoque de passagem em primeiro de julho?

Como já dissemos em boletins anteriores, os fundamentos do mercado físico de café valem cada vez menos nas bolsas de futuro, agora comandadas por grandes fundos de investimentos com interesses de curto prazo e suas análises lastreadas em programas de algoritmos. Teremos de desenvolver novas políticas de apoio aos produtores e de proteção contra os interesses de curto prazo de especuladores e fundos.

A séria crise política e econômica brasileira torna o quadro ainda mais confuso e imprevisível.

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, criticou a redução de apenas 1% da taxa de juros do Plano Safra 2017/2018. De acordo com o titular da Pasta Estadual, causa estranheza que o anúncio do governo federal não contemple a realidade do crescimento de 8% da produção agropecuária do Brasil. Para Arnaldo Jardim, a diminuição dos juros deveria, ao menos, ser proporcional à queda da Selic, mantendo o diferencial em relação à taxa de inflação. “Isso para que não se veja como é, na realidade, um aumento da taxa de juros para um setor que está determinando o avanço da produção brasileira, sustentando a retomada do crescimento econômico. Disse o secretário que governo precisa imediatamente pensar sobre isso e rever as taxas de juros do Plano Safra (veja a matéria completa em nosso site).

Até dia 31, os embarques de maio estavam em 1.994.395 sacas de café arábica, 17.309 sacas de café conilon, mais 184.704 sacas de café solúvel, totalizando 2.196.408 sacas embarcadas, contra 1.679.836 sacas no mesmo dia de abril. Até o mesmo dia 31, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em maio totalizavam 2.557.262 sacas, contra 2.067.725 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 26, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 2, caiu nos contratos para entrega em julho próximo 565 pontos ou US$ 7,47 (R$ 24,28) por saca. Em reais, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 26 a R$ 565,08 por saca, e hoje dia 2, a R$ 539,75 por saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em julho a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 215 pontos.

Escritório Carvalhaes

 

Veja tambÉm: