Tecnologias

Com Internet das Coisas e computação cognitiva, Senior automatiza o controle e monitoramento de silos da Urbano Agroindustrial

Desenvolvida com base na tecnologia IBM Watson, solução pioneira no Brasil revoluciona processo de monitoramento e controle do volume dos grãos armazenados nos silos de beneficiamento de arroz, reduzindo perdas e permitindo a gestão em tempo real

 

postado em 15/05/2017 | Há 1 semana

 
 
Maio de 2017 – A Urbano Agroindustrial – uma das maiores empresas de alimentos do País, que atua no beneficiamento de arroz, feijão e macarrão de arroz – implementou um projeto inovador para monitoramento e controle do volume dos grãos armazenados nos silos. Desenvolvido pela Senior, empresa especializada na oferta de software para gestão empresarial, de pessoas, logística, relacionamento com clientes e controle de acesso, o projeto é pioneiro no Brasil e envolveu a automatização dos processos por meio do uso de Internet das Coisas (IoT) e computação cognitiva.
 
A solução
 
Na planta da Urbano em Jaraguá do Sul/SC, equipamentos instalados dentro do silo de beneficiamento de arroz, incluindo emissores baseados em LED e receptores óticos, capturam o volume de grãos armazenados e enviam as informações em tempo real para o sistema da Senior – que pode ser acessado por computador ou smartphone. A partir de comandos de voz ou texto, os funcionários conseguem solicitar informações analíticas geradas pela plataforma sobre os silos, recebendo os dados e relatórios nos mais diversos dispositivos. Esta é uma espécie de “conversa” que a tecnologia IBM Watson permite dentro do projeto, respondendo perguntas sobre o silo. O sistema tem capacidade de processar informações e aprender com elas, assim como acontece com o cérebro humano.
 
Para a integração das tecnologias, foi empregada a plataforma IBM Bluemix, a qual permite que todo o gerenciamento das informações seja realizado na nuvem e tecnologia da IBM sejam integradas rapidamente ao projeto. Dessa forma, o acesso aos dados pode ser feito de qualquer hora e lugar. A plataforma na nuvem permitiu o uso de APIs da IBM (sigla em inglês de Interface de Programação de Aplicativos) em IoT, Watson Conversation, dados da Weather Company, entre outros.

“Este caso ilustra bem a aplicação do conceito “embodied cognition”, em Português poderíamos chamar de cognição incorporada. Consiste em você adicionar capacidade cognitiva a objetos físicos, como uma geladeira, um quadro negro, uma sala e até mesmo um cilo de grãos, para que possamos interagir em linguagem natural com estes objetos. Uma combinação de IoT e Computação cognitiva”, afirma David Dias, responsável pela área de Canais e Ecossistema para IBM Watson no Brasil.

De acordo com o pesquisador da Senior Márcio Jasinski o projeto foi desenvolvido em um modelo de cocriação. “A equipe de Pesquisa Aplicada da Senior visitou a linha de produção da Urbano Agroindustrial e pode entender in loco a demanda do cliente para então propor uma solução dentro dos parâmetros já estabelecidos”, explica. Essa abordagem fez com que profissionais com grande conhecimento em tecnologia e agronegócio trabalhassem juntos e permitiu, assim, o surgimento de uma solução pioneira e aderente às necessidades do cliente.

“Esse projeto reflete o compromisso da Senior em, a partir de tecnologias inovadoras, criar soluções que ajudem as empresas, dos mais diversos portes e perfis, a solucionar desafios de negócios e serem ainda mais eficientes, com aumento de resultados e redução de custos”, afirma Carlênio Castelo Branco, CEO da Senior.
Benefícios

A solução da Senior revoluciona o processo original de controle e monitoramento do volume dos grãos de arroz dentro do silo. “A automatização reduz o tempo de monitoramento, otimiza o controle e proporciona segurança aos colaboradores que trabalham na operação e precisão na coleta de informações”, explica Jasinski. Além disso, por se tratar de uma solução em nuvem, todo o processo ganha agilidade, já que as informações podem ser acessadas de qualquer dispositivo em tempo real.

“Entre os principais benefícios que a solução nos trouxe estão a confiabilidade e a prontidão das informações sobre o volume de grãos armazenados, uma vez que não há mais necessidade de uma verificação manual do nível do arroz dentro do silo”, reforça Rafael Volpi, da Urbano Agroindustrial. Justamente por eliminar a etapa da verificação manual, o gerenciamento automatizado proporciona, ainda, uma redução de até 30% na mão de obra de emergência
“Outro ponto importante é o impacto na programação semanal de produção, já que hoje obtemos em tempo real o nível de arroz que está pronto para ser empacotado e, até mesmo, conseguimos saber se a produção está fluindo. Como resultado efetivo, tivemos uma redução de 5% no tempo gasto com o monitoramento do silo”, completa o executivo.

O sucesso da solução da Senior para automação na gestão de armazenamento de grãos com o uso de IoT e computação cognitiva foi implantado na planta da Urbano em Jaraguá do Sul/SC e deve ser expandido para os demais silos da companhia, nas plantas do Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. O próximo passo para a Urbano Agroindustrial será implantar a tecnologia nos silos de recebimento da matéria-prima, ambiente que apresenta alta periculosidade.

Para se ter uma ideia, de acordo com dados do Anuário Estatístico da Previdência Social, seção atividades de apoio à agricultura, o número de acidentes registrados em empresas do setor durante o ano de 2015 foi de 2.048 ocorrências. “Esse dado reflete que as estruturas destinadas ao armazenamento de produtos agrícolas oferecem diversos riscos. Com a tecnologia, reduzimos significativamente acidentes nesses ambientes”, explica Volpi.

“Este caso da Seio com o Watson ilustra a aplicação do conceito ‘embodied cognition’, em português, chamamos de cognição incorporada. Consiste em você adicionar capacidade cognitiva a objetos físicos, como uma geladeira, um quadro negro, uma sala e até mesmo um ciclo de grãos, para que possamos interagir em linguagem natural com estes objetos. Uma combinação de IoT e Computação cognitiva”, afirma David Dias, responsável pela área de Canais e Ecossistema para IBM Watson no Brasil.

Reconhecimento Internacional

Como resultado da iniciativa inovadora e pioneira, a Senior foi a grande vencedora na categoria Watson IoT do IBM Beacon Award – uma das mais importantes premiações mundiais de tecnologia, que aconteceu em Las Vegas, em fevereiro deste ano.

O Beacon Award é parte do programa de reconhecimento de parceiros de negócios da IBM, que premia as melhores soluções baseadas na plataforma IBM voltadas aos clientes a fim de conduzir ao crescimento e à transformação de negócios. A escolha dos vencedores é feita por um painel de peritos composto por executivos da IBM, analistas de indústria e membros da imprensa, que reconhece os parceiros de negócios ao redor do mundo que demonstraram excelência empresarial. A premiação conta com 19 categorias que abrangem as áreas de analytics, colaboração, nuvem, comércio eletrônico, computação cognitiva, Watson IoT e segurança.

Esta é a segunda vez que a Senior recebe este reconhecimento. Em 2014, a companhia foi a única empresa da América Latina premiada pela IBM no Beacon Award. Na ocasião, a Senior concorreu na categoria Cloud Computing pelas soluções inovadoras oferecidas ao mercado.
 

Veja tambÉm: