Comércio

Importação de Conilon: presidente ‘encerra’ o assunto

Da agenda de trabalho no Palácio do Planalto, nessa quinta-feira (23), o deputado Federal Evair de Melo (PV/ES), que integra as duas frentes, usou o microfone do Plenário da Câmara Federal para repassar a todo o Brasil, em especial ao setor produtivo do c

 

postado em 23/03/2017 | Há 2 meses



De um lado o presidente da República Michel Temer e os ministros Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Eliseu Padilha (Casa Civil) e Osmar Serraglio (Ministério da Justiça), do outro os parlamentares das frentes Parlamentares da Agropecuária e do Café e na mesa a decisão: “Diante dos fatos consistentes e início da safra, não há ambiente para prosseguir com essa agenda. O assunto importação de café Conilon está encerrado”, ressaltou o presidente.

Da agenda de trabalho no Palácio do Planalto, nessa quinta-feira (23), o deputado Federal Evair de Melo (PV/ES), que integra as duas frentes, usou o microfone do Plenário da Câmara Federal para repassar a todo o Brasil, em especial ao setor produtivo do café, a conquista coletiva no processo de barrar a importação de café e valorizar o produto nacional.

“São meses de trabalho intenso para chegarmos até aqui. Pude relatar ao presidente o drama que os produtores de café estão vivendo nos últimos tempos, pela pressão irresponsável da indústria de se importar café. Construíram um leilão unilateral que não obteve sucesso, pois as indústrias se negaram a pagar até o preço atual da cotação do dia. Relatamos ao presidente que a safra já começou no Sul da Bahia e em Rondônia e está preste a começar no Espírito Santo, que é o maior produtor de Conilon do Brasil. Não há nenhum clima para se discutir a importação de café. Sempre tivemos café estocado e a safra nova está aí”, destaca o deputado Evair de Melo.

A última tentativa para criar argumentos para liberar a importação de café caiu por terra com o fracasso do leilão realizado nessa quarta-feira (22), pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), para aquisição de café Conilon, que não concretizou nenhuma operação.

Sem interessados, os produtores denunciaram que uma série de barreiras apontava para o que seria uma farsa. Entre essas dificuldades estavam a exclusão do setor produtivo no processo de elaboração dos editais; a falta de capacidade logística dos armazéns para receber de uma única vez todo café que seria leiloado; o prazo exíguo de entrega do produto; entre outras ações que inviabilizaram as ofertas.

Também no processo, o projeto do senador Ricardo Ferraço, que anula decisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em autorizar importação de café do Vietnã, obteve parecer favorável. “Como se não bastassem os problemas revelados pela operação Carne Fraca, só falta importarem pragas para nossa cafeicultura. Não vamos permitir esse ato inconsequente! Café é brasileiro”, reforça o senador Ricardo Ferraço.

Ainda na agenda com o presidente, o tema foi abordado pelo deputado Evair de Melo, que alertou o presidente sobre os riscos fitossanitários existentes na operação de se importar café do Vietnã e as inconsistências do laudo técnico que fundamentou a publicação da Instrução do MAPA, que autorizava a importação dos grãos.

Operação Carne Fraca e Reforma da Previdência

Na reunião com o presidente, a Operação Carne Fraca e a Reforma da Previdência entraram em pauta. “Pedimos agilidade do Governo para reabrir urgentemente os mercados asiáticos e também oficiamos a nossa insatisfação de como a questão rural está sendo conduzida na reforma da previdência”, completa Evair de Melo.
 

Veja tambÉm: