Mercado

Com café sendo moeda de troca para compra de máquinas, 2ª Feira do Cerrado espera R$ 35 mi em negócios

Muitos desses negócios serão realizados através da operação Barter, em que o café do cooperado pode ser utilizado como moeda de troca para a compra de máquinas e implementos agrícolas.

 

postado em 16/03/2017 | Há 2 semanas

Com café sendo moeda de troca para compra de máquinas, 2ª Feira do Cerrado espera R$ 35 mi em negócios

Produtores no Centro de Negócios da 2ª Feira do Cerrado Mineiro - Fonte: Taila Cristina Soares

 

Coromandel (MG) – Em seu segundo ano de realização, a Feira de Máquinas e Implementos Agrícolas do Cerrado Mineiro, realizada pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé), espera cerca de R$ 35 milhões em negócios, cerca de 15% a mais que no ano anterior, e deve receber cerca de quatro mil cafeicultores. Muitos desses negócios serão realizados através da operação Barter, em que o café do cooperado pode ser utilizado como moeda de troca para a compra de máquinas e implementos agrícolas.

O prazo para o financiamento pode ser de três anos, podendo chegar a até quatro (no caso de aquisição de tratores da marca Landini) e o valor da saca de café arábica é estabelecido de acordo com o mercado do café no respectivo dia. "Com esse sistema ajudamos nossos cooperados a modernizar a lavoura, ganhando mais produtividade, sustentabilidade e qualidade de vida", afirma o presidente da Cooxupé, Carlos Paulino da Costa.

Durante a abertura da 2ª Feira do Cerrado, o café estava cotado para venda na cooperativa com entrega neste ano em R$ 487,00 a saca de 60 kg e em 2018 era negociado a R$ 540,00. Para entrega em 2019, estava em R$ 587,00. Na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), o grão da variedade arábica estava cotado em cerca de US$ 1,40 por libra-peso nesta manhã de quinta-feira (16).

Na feira o produtor tem um leque de oportunidades de compra para suas lavouras. São mais de 60 expositores em 70 estandes. Um dos destaques deste ano é um secador estático. Com esse produto, o cafeicultor não fica refém das condições climáticas do terreiro convencional, mantém a qualidade do café e economiza com mão de obra. "Esse secador foi pensado para melhorar o custo de vida do produtor rural", diz o supervisor de vendas da Palini & Alves, Luiz Gustavo Acetti.

"Estamos satisfeitos com os resultados do primeiro dia da Feira do Cerrado. O cafeicultor dessa região está procurando por tecnologias para ganhar mais eficiência e rentabilidade em suas atividades cafeeiras", afirma o superintendente de Desenvolvimento do Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior. Em relação à edição do ano passado, o número de visitantes do primeiro dia cresceu 8%.

Em sua primeira edição, a Feira do Cerrado Mineiro reuniu três mil visitantes com geração de negócios em torno de R$ 30 milhões.

Serviço
2ª Feira do Cerrado – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas
Data: 15 e 16 de março de 2017, das 08h00 às 18h00
Cidade: Coromandel/MG
Endereço: Rua João Vieira, 226 A | Sagrada Família | Núcleo Cooxupé
http://feiracerrado.cooxupe.com.br

 

Veja tambÉm: