Estatísticas

Clima melhora no ES e beneficia safra de conilon deste ano, mas produção volta ao normal apenas em 2019

Vamos ter uma safra praticamente igual a do ano passado ou um pouco maior e com maior rendimento. Serão necessárias quatro sacas de cereja descascado maduro para fazer uma saca de café beneficiado. Estimo produção entre 4 milhões e 4,5 milhões de sacas de

 

postado em 13/03/2017 | Há 7 meses

Por: Jhonatas Simião

As condições climáticas deram sinais de melhoras nos últimos meses no Espírito Santo, maior estado produtor de café conilon (robusta) no Brasil, e as plantas que começarão a ser colhidas entre os meses de abril e julho na região já dão sinas de recuperação. A produção da variedade no estado neste ano pode até ficar acima do volume que foi registrado no ano passado. Mas colheita normal, apenas em 2019.

"Vamos ter uma safra praticamente igual a do ano passado ou um pouco maior e com maior rendimento. Serão necessárias quatro sacas de cereja descascado maduro para fazer uma saca de café beneficiado. Estimo produção entre 4 milhões e 4,5 milhões de sacas de 60 kg", afirma o gerente de comercialização da Cooabriel (Cooperativa Agrária dos Cafeicultores de São Gabriel), Edmilson Calegari.

A Cooabriel é a maior cooperativa de café do Espírito Santo e espera receber de seus cooperados nesta safra entre 750 mil e 800 mil sacas de café, acima das 600 mil sacas em 2016.

A chuva em novembro e dezembro do ano passado foi acima do normal no estado, com precipitações acumuladas no Norte, maior polo produtor de café do estado, passando de 250 milímetros em novembro, segundo dados do Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural). "Em janeiro, as chuvas voltaram a ficar abaixo da média, mas em fevereiro houve uma recuperação. Mas as precipitações estão mal distribuídas", diz o coordenador do setor da meteorologia do Incaper, José Geraldo Ferreira da Silva.

Precipitação observada no ES em novembro - Fonte: IncaperPrecipitação observada no ES em dezembro - Fonte: Incaper

Precipitação observada no ES em janeiro - Fonte: Incaper

Precipitação mensal acumulada de novembro, dezembro e janeiro no ES - Fonte: Incaper

Apesar disso, o café conilon tem bom potencial de recuperação, mesmo após vários anos de seca, as chuvas voltaram, ainda que irregulares, e as plantas já esboçam recuperação. "O café se recuperou bastante. As lavouras ainda cresceram pouco, mas já estão mais enfolhadas. Em nada lembra os últimos anos", explica o coordenador de cafeicultura do Incaper, Romário Ferrão.

Algumas propriedades do estado tiveram que passar por uma renovação forçada devido às condições climáticas, mas muitas dessas plantas tinham baixo potencial de produção. No ano passado, o governo capixaba chegou a proibir a irrigação de lavouras. 70% das plantações de café no estado utilizam o sistema.

"A expectativa neste ano é de safra igual ou superior a 2016, mas isso deve ser confirmado na próxima estimativa da Conab", diz Ferrão. O Incaper trabalha com os mesmos dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) nos levantamentos de safra do estado. Em sua última estimativa, a Companhia apontou produção de conilon no Espírito Santo entre 4,6 milhões e 5,29 milhões de sacas e o total no país entre 8,64 milhões e 9,63 milhões de sacas.

Em 2014, o estado teve produção recorde de quase 10 milhões de sacas. Desde então, a produção no estado despencou devido às condições climáticas adversas. "Se o clima continuar favorável, estimo que em 2018, poderemos ter uma safra até 30% maior que a deste ano [entre 5,2 milhões e 5,85 milhões de sacas]. Mas a produção volta ao normal apenas em 2019", ressalta Calegari.
 

Previsão para os próximos meses

Segundo dados do Incaper, os modelos climáticos nos próximos meses apontam baixos volumes no estado. "Agora em março, as chuvas deverão ser mais baixas em relação à média. Já em abril, época de menos chuvas, o cenário deve seguir a média. De maio em dia o clima volta a ficar mais seco", afirma Silva. "Pode faltar água para irrigação", alerta o especialista.

Leia a íntegra no Notícias Agricolas

Fonte: Notícias Agrícolas
 

Veja tambÉm: