Produção

Novos plantios para atender demanda

Com uma demanda por cafés especiais no exterior maior do que consegue atender, a O’Coffee está reforçando o plano de ampliar sua produção própria.

 

postado em 07/03/2017 | Há 9 meses

Por Alda do Amaral Rocha | De Pedregulho

Novos plantios para atender demanda

 

"Temos demanda muito maior do que conseguimos atender", diz Úbion Terra Foto: Silvia Costanti/Valor

Com uma demanda por cafés especiais no exterior maior do que consegue atender, a O’Coffee está reforçando o plano de ampliar sua produção própria. Além disso, deve voltar a elevar a compra de cafés de terceiros este ano para atender essa procura.

Na safra 2016/17, a O’Coffee produziu 35 mil sacas de café, sendo 60% desse volume grãos especiais que foram destinados à exportação. Mas a demanda internacional superou o que a empresa tinha para ofertar em cafés especiais. Assim, foi necessário adquirir mais 14 mil sacas de café de 15 produtores com os quais a O’Coffee tem parceria na região da Alta Mogiana, que inclui cidades nos Estados de São Paulo e Minas Gerais.

Este ano, o volume comprado de terceiros deve crescer, segundo Úbion Terra, diretor-executivo da O’Coffee. Isso porque a demanda para exportação segue em alta – a estimativa é que alcance 40 mil sacas de café verde -, mas a produção da própria O’Coffee deve recuar para 28 mil sacas.

Como a empresa espera exportar 65% do que produzir, terá de adquirir 22 mil sacas de café dos parceiros para atender à demanda para exportação. "Temos uma demanda no exterior muito maior do que conseguimos atender", afirma o executivo. Os cafés adquiridos de terceiros também têm de ter nota superior a 80 pontos e são rastreados.

Para ampliar a produção própria de café, hoje espalhada numa área de 1.200 hectares em seis fazendas contíguas, a O’Coffee planeja plantar mais 900 hectares até 2021. Para isso, incluirá áreas de mais duas fazendas do grupo, onde hoje estão plantadas cana e soja sob arrendamento. Em 2017, serão semeados 100 hectares e mais 200 hectares por ano entre 2018 e 2021.

Com essa ampliação, a produção da O’Coffee pode mais que dobrar até 2021, projeta Terra. A razão é que os novos plantios serão mais adensados, saindo dos atuais 3,6 mil pés de café por hectare para 6,06 mil pés por hectare. "A produção pode mais do que dobrar, alcançando 80 mil sacas por causa do adensamento maior e porque as árvores mais novas são mais produtivas", diz.

A O’Coffee não divulga o valor a ser investido na ampliação, mas o executivo estima que a implantação de cada novo hectare tem custo de R$ 15 mil no caso das áreas sem irrigação e de R$ 30 mil nas com irrigação. Hoje, 60% da área de café da O’Coffee é irrigada, mas ainda não está definido se esse percentual será mantido no processo de ampliação.

Além dos aportes para implantação dos novos cafeeiros, o incremento na produção também prevê investimentos em infraestrutura nas fazendas, como equipamentos para pós-colheita, máquinas secadoras, beneficiadoras e de embalagens.

O modelo de negócio da O’Coffee é verticalizado. Além de cultivar café, a empresa também tem torrefação na propriedade. De sua produção total de cafés especiais, uma fatia de 3% a 5% é torrada e destinada às cafeterias Octavio e aos produtos com a marca comercializados no varejo. Os volumes de café verde não exportados são vendidos a torrefações no mercado interno.

Controlado pela família Quércia, o grupo SolPanamby, dono da O’Coffee, também atua no segmento imobiliário e de comunicações no Brasil.

Fonte : Valor

 

Veja tambÉm: