Tecnologias

Abisolo projeta 2017 positivo e área de tecnologia em nutrição vegetal deve repetir bom desempenho dos anos anteriores

Entidade também destacou que expansão do uso dos produtos tem sido abrangente, chegando sua utilização atualmente a 10% da área plantada de cana, por exemplo

 

postado em 22/02/2017 | Há 8 meses

As projeções da indústria de tecnologia em Nutrição Vegetal para 2017 são bastante otimistas. “Nossa expectativa é manter o nível de crescimento dos últimos anos, que tem ficado na casa dos 13% de expansão no faturamento do segmento, o que pode ser considerado uma invejável marca perante outros setores da economia”, afirmou Roberto Levrero, presidente da Abisolo – Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, durante entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (21), em São Paulo.
 
Os dados gerais do segmento referentes a 2016 estão em fase final de levantamento e serão consolidados num estudo a ser apresentado durante a VII edição do Fórum e Exposição Abisolo, que será realizada nos dias 5 e 6 de abril no Expo Dom Pedro, em Campinas/SP. “O Fórum é a principal ferramenta de divulgação das inovações tecnológicas e dos conhecimentos do segmento, sobretudo para a cadeia produtiva do agronegócio e para a sociedade de forma geral”, pondera Levrero.
 
De acordo com Anderson Ribeiro, diretor de Relações Institucionais e Comunicação Social da Abisolo, o Fórum está dividido em três blocos. “No primeiro, estarão reunidos os principais nomes do mundo acadêmico envolvidos com pesquisa e desenvolvimento para o segmento de nutrição. No segundo, concentramos palestrantes que tratarão de temas relativos a aspectos regulatórios e ambientais. Por fim, o terceiro bloco reunirá diversos especialistas para traçar o cenário atual e as perspectivas do agronegócio para os próximos anos. Esse bloco terá as presenças dos ex-ministros da Agricultura, Roberto Rodrigues e Alysson Paulinelli, e será finalizado com um debate”.
 
De acordo com os dirigentes da Abisolo, um dos principais fatores para justificar o bom desempenho do segmento de tecnologia para nutrição vegetal é a constante necessidade do produtor agrícola em aumentar sua competitividade, fazendo melhor uso da área plantada. “Outro fator para o crescimento é uma maior conscientização, por parte do produtor, de que a nutrição de plantas é responsável por 30% a 40% da produção das culturas e que o uso de tecnologias nessa área é fundamental para continuar avançando em produtividade”, acrescenta Levrero.
 
Outra informação detalhada durante a coletiva foi a de que a expansão do segmento tem sido abrangente e envolve cada vez mais culturas. “Um exemplo disso é o uso dos produtos na cultura da cana, que era praticamente zero há 10 anos, e hoje se estima que já chega a 10% da área plantada”, informou Ribeiro. Atualmente, a cultura que mais utiliza fertilizantes especiais é a da soja, seguida de hortaliças, milho, café, cana e frutas. “Mas milho vem num movimento de forte crescimento e deve ultrapassar as hortaliças em importância nos próximos anos”, finaliza Levrero.

 

Veja tambÉm: