Mais Café

O ABSURDO DE IMPORTAR CAFÉ POR MARIO HERINGER

Somos o país que mais produz café no mundo e, num momento em que precisamos gerar mais empregos e aumentar o PIB, vamos importar café?

 

postado em 20/02/2017 | Há 10 meses

Por Thyago Paniago

O ABSURDO DE IMPORTAR CAFÉ POR MARIO HERINGER

 

17 Fev 2017 - Serão 1 milhão de sacas de Conilon, de fevereiro a maio! Serão 250 mil sacas de café robusta chegando ao Brasil mensalmente! Usei a tribuna hoje (16) para questionar esta decisão, aprovada por unanimidade ontem (15) pelo Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (GECEX)⃰, órgão de assessoramento da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX).

Coloco sob suspeita aqueles que referendaram esta decisão: o GECEX, integrado pelo Ministério das Relações Exteriores e pelos Secretários-Executivos da casa Civil, do Ministério da Fazenda, do Ministério da Indústria, do Ministério do Planejamento e da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República. Coloco sob suspeita a Companhia Nacional de Abastecimento, a CONAB, segundo a qual os estoques reduzidos do Espírito Santo, Rondônia e sul da Bahia seriam insuficientes para atender as necessidades da indústria de café solúvel brasileira e que, por isso, bateu palmas para a redução do imposto de importação do café. E coloco sob suspeição também, caso essa decisão prossiga, o Ministério da Agricultura, que solicitou a redução do imposto de importação dos grãos.

É inimaginável que tenhamos que importar café, desonerar a importação de café. Só no Espírito Santo, estado cuja queda na produção foi apontada como uma das justificativas para a redução do imposto de importação, mas que se mantém na liderança como maior produtor de Conilon no país, são mais de 56 mil propriedades produtoras, aproximadamente 330 mil empregos diretos! E para quê importaremos café? Para atender a indústria nacional que não produz emprego e não produz PIB no café. Quem gera emprego e PIB no café é a produção!

Para que vamos importar café, quando o grão continua sendo o segundo produto na pauta geral de exportações do país, gerador de emprego, renda e fator de inclusão social? Segundo dados da Associação Nacional dos Sindicatos Rurais das Regiões Produtoras de Café e Leite, Sincal, só em Minas, são 600 municípios, aproximadamente 170 mil cafeicultores, quase 2 milhões de trabalhadores rurais, além de toda uma cadeia de empregos indiretos ligados ao agronegócio do café! Temos que proteger nossa produção, garantir nossa posição no mercado internacional, gerar empregos, fortalecer nossa economia e não importar café!

Por isso, coloco sob suspeição essa decisão. E lanço o alerta, Presidente Michel Temer: isso poderá vir a ser mais um escândalo, como aqueles que a gente já assistiu quando quiseram impor um novo extintor de incêndio para os carros no Brasil ou um kit de primeiros socorros nos carros, que por fim se revelaram frutos de acordos espúrios.

Eu quero, Ministro Blairo Maggi, que Vossa Excelência reflita antes de tomar essa decisão. Somos respeitados mundialmente pelo nosso café, somos referência em tecnologia na produção do grão. Devemos, realmente abrir mão desse status, ou encontrar soluções para os possíveis problemas apontados por aqueles que levaram à tomada dessa decisão?

 

Veja tambÉm: