Produção

Especialistas se reúnem em Minas Gerais para debater desenvolvimento da rota do mel

Codevasf é parceira do Ministério da Integração Nacional em realização de evento que discutirá apicultura na próxima terça e quarta-feira

 

postado em 17/02/2017 | Há 5 meses

Especialistas se reúnem em Minas Gerais para debater desenvolvimento da rota do mel

Em parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o Ministério da Integração Nacional (MI) promove, nos próximos dias 21 e 22, em Belo Horizonte (MG), a Oficina da Rota do Mel. Produtores, especialistas, acadêmicos, técnicos, empresários e gestores públicos participam dos debates, que ocorrerão no escritório da Emater de Minas.

O objetivo do evento é discutir as potencialidades e perspectivas futuras da apicultura no estado. Encontros semelhantes estão sendo realizados pelo MI, com participação da Codevasf, no Ceará, em Santa Catarina, Pará e Brasília; as discussões vão culminar com a elaboração do Plano de Desenvolvimento da Rota do Mel.

Diversos órgãos federais têm atuado para fortalecer a cadeia produtiva do mel no país. Pela Codevasf, são R$ 39 milhões investidos desde 2012 para estruturar e capacitar comunidades rurais afetadas pelas estiagens prolongadas para atuar nessa doce alternativa de trabalho e renda. Nos últimos quatro anos, a Codevasf já atendeu 151 municípios nos estados da Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Piauí, Ceará e Maranhão, além de Minas.

“A Codevasf  tem uma gerência específica para cuidar de desenvolvimento territorial, e essa gerência é responsável pela implantação de projetos de desenvolvimento sustentável, os chamados arranjos produtivos locais, a exemplo da apicultura”, observa Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Codevasf.

“Esse trabalho proporciona alternativa de renda e, ao mesmo tempo, cria nos produtores motivação mais intensa para preservar o meio ambiente, pois o sustento das famílias está associado a isso”, afirma o diretor.
O semiárido mineiro se destaca na atividade, reunindo 1.429 produtores familiares produtores em mais de 50 municípios, os quais produzem 730 toneladas de mel por ano e alcançam renda global de R$ 7,3 milhões. Nos últimos três anos, foram implantados pela Codevasf 484 kits de produção apícola familiar na região do Norte de Minas, com mais de 8 mil colmeias instaladas em 22 municípios.

Em todo o estado a atividade apícola congrega pequenas associações comunitárias que reúnem mais de 5 mil produtores familiares, parte deles estruturada pela Codevasf com equipamentos como centrífugas, tanques decantadores e embaladoras, além da implantação de seis unidades de beneficiamento do mel instaladas em pontos estratégicos do Vale do São Francisco em Minas.

Mel de melato

O mel de melato de aroeira, uma substância encontrada exclusivamente no ecossistema Mata Seca, no norte e noroeste de Minas Gerais, é um dos destaques no estado. Esse tipo de mel não é obtido a partir do néctar das flores. A produção se dá de forma diferenciada: devido à escassez de flores durante a seca, as abelhas utilizam o néctar da aroeira e o melato, um líquido doce resultante do processamento da seiva da planta por insetos (pulgões e cochonilhas), os quais adicionam enzimas específicas e modificam os açúcares do mel. Este, ao contrário do mel convencional, possui uma coloração escura, é menos adocicado e não cristaliza.

Em parceria com a Codevasf, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) realiza pesquisa a fim de estudar os aspectos biológicos, ambientais e a associação entre as abelhas da espécie Apis mellifera e os homópteros (pulgões) para elucidar o ciclo de produção desse mel. O estudo visa à obtenção do registro da Indicação Geográfica junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), de forma a atestar que o mel de melato de aroeira é uma substância exclusiva daquela região de Mata Seca.

Integração econômica

Lançada em 2011, a Rota do Mel é uma estratégia formulada pelo Ministério da Integração Nacional para promover o desenvolvimento da apicultura no Brasil.

Mais de R$ 49 milhões foram investidos em ações que contemplam a capacitação de produtores, distribuição de insumos (colmeias, melgueiras, suporte, cera, equipamentos de proteção individual, carretilha manual, formão, fumigador, entre outros) e a construção de unidades de extração e beneficiamento de mel de abelha. Aproximadamente 9,6 mil famílias já foram beneficiadas.

Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), o programa Rotas da Integração Nacional contribui com a inclusão e integração econômica de regiões menos desenvolvidas do país aos mercados nacionais de produção, consumo e investimento, a partir da formação de arranjos produtivos locais (APLs). Além de beneficiar o setor produtivo de mel, o programa incentiva outros segmentos como cordeiro, peixe e fruticultura, dentre outros.

As Rotas também dão suporte a ações associadas à infraestrutura (energia, transportes etc.), mecanismos de financiamento (fundos regionais e incentivos fiscais) e ao fortalecimento de capital social (associativismo e cooperativismo). Em cinco anos, o Governo Federal já investiu cerca de R$ 360 milhões.

*Com informações do Ministério da Integração Nacional.

Serviço
Evento: Oficina da Rota do Mel
Data: 21 e 22 de fevereiro de 2017
Horário: 08h às 17h
Local:  Auditório da Emater/MG - Avenida Raja Gabaglia, 1.626, Belo Horizonte/ MG
Contatos com a imprensa: Ministério da Integração Nacional, assessoria de Comunicação: (61) 2034-5542/5528/5683; Codevasf, assessoria de Comunicação em Minas: (38) 2104-7814/7857

 

Veja tambÉm: