Tecnologias

Fazenda de café conilon tem aumento de mais de 200% na produtividade com implantação de irrigação

Sistema evita desperdício de água ao irrigar direto na raiz da planta; conheça o case da Fazenda Kitanda da Bahia

 

postado em 16/02/2017 | Há 8 meses

Fazenda de café conilon tem aumento de mais de 200% na produtividade com implantação de irrigação

Aumento na produtividade, economia de água e boa viabilidade econômica são desejos que muitos produtores brasileiros possuem em relação às suas culturas. E contar com inovação e tecnologia para a otimização desse processo é uma boa solução.
 
É o caso da irrigação inteligente, “gota a gota”, da israelense Netafim, empresa pioneira e líder mundial em soluções de irrigação por gotejamento, que proporciona muitos resultados positivos. “Essa tecnologia consiste em pequenos gotejadores instalados em tubos que conduzem a água até a raiz da cultura, fornecendo a quantidade ideal de água e, também, por meio da nutrrigação, leva os nutrientes para a cultura. Assim é possível chegar diretamente nas raízes fazendo com que ela cresça mais rápido que as demais e o produtor também não desperdiça água, insumos e tempo”, explica Carlos Sanches, gerente agronômico da Netafim.
 
Em 2013, o grupo A4 Agrícola e Pecuária decidiu investir na tecnologia. O local escolhido foi a Fazenda Kitanda, localizada em Guaratinga/BA, com uma área de 150 hectares irrigados, onde está localizada a primeira área experimental de gotejamento subterrâneo em café conilon. A produção que antes era de 30 sacas por hectare (produtividade média em sequeiro) aumentou seu número para 100 sacas por hectare, após a irrigação.


 
Além do aumento na produtividade, outros benefícios são evidentes ao adotar o gotejamento, como a economia de água. Na Fazenda Kitanda, todo o manejo de água é seguindo a tensiometria, ferramenta capaz de monitorar a disponibilidade de água no solo e definir a hora ideal de ativar a irrigação. Cada projeto possui a sua bateria de monitoramento, respeitando possíveis manchas de solo. “Essa prática gerou para nós uma economia de água de, aproximadamente, 50% levando em consideração o manejo tradicional de irrigação e o balanço hídrico”, destaca Aristeu Filho, proprietário da Fazenda
 
Outra particularidade chama a atenção na Fazenda Kitanda: todas as adubações das áreas irrigadas são monitoradas por extratores de solução, que são utilizados para medir a condutividade elétrica da solução do solo e demonstrar a concentração salina da solução, indicando se será necessário realizar a adubação daquele dia ou não. “Juntamente com o monitoramento pelo extrator da solução são realizadas análises foliares a cada mês para termos certeza de que nível nutricional está sendo alcançado pelo monitoramento. Esse manejo gerou uma economia média de 37% em fertilizante anual de cada projeto irrigado da fazenda”, afirma o proprietário.

<
 

Veja tambÉm: