Mais Café

Feira aponta investimentos do cafeicultor para ganhar eficiência e reduzir custos

 

postado em 15/02/2017 | Há 8 meses

Fonte: Dino – Divulgador de Notícias


Feira aponta investimentos do cafeicultor para ganhar eficiência e reduzir custos
 edição da FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas realizada pela Cooxupé confirmou a tendência do produtor de café do sul de Minas Gerais, cerrado mineiro e da média mogiana do estado de São Paulo em investir em suas propriedades para ganhar eficiência e, assim, aumentar a rentabilidade e qualidade de vida – tema do evento deste ano. As expectativas da Cooxupé, cooperativa realizadora da feira, foram alcançadas: recorde de público com 38.249 mil visitantes compradores passaram pelo evento gerando entre os dias 08 e 10 de fevereiro um volume de negócios 36% maior em relação à edição de 2016. As estimativas eram de até 35 mil pessoas e um crescimento nas negociações em 16%.

“O resultado da feira deste ano comprova que mesmo com a situação pela qual o país vem passando, nossos cooperados mantiveram o bom ânimo e não estão deixando de investir em soluções para que suas propriedades estejam cada vez mais modernas, ganhando em rentabilidade, sustentabilidade e qualidade de vida”, afirma o presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa.

Vitrine de tecnologias e lançamentos das principais empresas do agronegócio brasileiro, a FEMAGRI apresentou para as famílias cafeicultoras novidades e soluções que atendem a todos os tamanhos de propriedades, como uma ferramenta multifuncional, que possibilita ao cafeicultor utilizar uma mesma base e transformá-la em roçadeira, motopoda, podador de altura, aparador de cantos, motocultivador ou um derriçador; uma área de vivência, com refeitório e banheiros, adaptada em uma carretinha para atender as equipes de trabalho no campo; uma lavadora de alta pressão que utiliza etanol como combustível para o sistema de aquecimento da água; um despolpador de café, que reduz a zero o consumo de água, entre outras opções.

O produtor encontrou na FEMAGRI as opções de financiar sua compra por meio de linhas de crédito bancário ou por meio da operação barter, em que o café é utilizado como moeda de troca para pagamento dividido em três anos. “O valor da saca tem como base o estabelecido pelo mercado de café. Consideramos uma opção bastante segura aos cooperados, pois ele aproveita o preço de hoje sem se preocupar com possíveis oscilações do preço dos próximos anos”, explica o superintendente de Desenvolvimento de Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior.

 

 

Veja tambÉm: