Produção

20 anos com café irrigado na região da Alta Mogiana

O sistema que aumentou em 50% a produtividade da Fazenda São José, além de facilitar o manejo e garantir mais produtividade

 

postado em 23/01/2017 | Há 10 meses

A Fazenda São José, em Nuporanga (SP), possui plantação de café desde 1830. Durante esses quase 200 anos de história a lavoura passou por várias transformações. A mais importante delas, sem dúvida, foi o início da implantação de pivôs centrais há cerca de 20 anos.

O proprietário Fernando Martins de Barros conta que, na época, começava um movimento por todo o país de tecnificação agrícola, com implantação de sistemas irrigantes por grandes produtores. “E eu fui aconselhado a procurar a então Asbrasil, hoje Valley, para instalar meu primeiro pivô”, recorda, ressaltando que a boa assistência técnica e a qualidade de reposição de peças foram fundamentais para a fidelização.

Com a irrigação a produtividade já cresceu 50%. E, com o passar do tempo, os produtores se profissionalizaram ainda mais no sistema, adotando uma consultoria técnica específica que ajudou na economia da água e energia, além de um incremento de 10% na produção. “O segredo de um bom café está na irrigação e num bom ‘pós-colheita’. Hoje, a uma altitude de 810m, conseguimos produzir um grão com a mesma qualidade que fazendas situadas em regiões com mais de 1100m”, afirma o agricultor, destacando que também investiu em outras ferramentas como o terreiro suspenso, que é uma tela, sem contato com o chão, para a secagem do grão.

“Com a irrigação conseguimos planejar a poda e manter uma produção anual certa, sem variação, driblando a bianualidade do cafeeiro”, comenta Felipe Lima de Barros, engenheiro agrônomo, acrescentando que outra vantagem foi em relação à adubação do solo. “O processo ficou mais rápido e eficiente. Conseguimos parcelar melhorar essa adubação, diminuir a acidez do solo e ter a garantia de resultado, já que a terra recebe água ao mesmo tempo”, comemora.

 

Veja tambÉm: