Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizou a segunda-feira com alta

N.Y. finalizou a segunda-feira com alta, a posição março oscilou entre a mínima de -2,10 pontos e máxima de +3,65 fechando com +1,35 pts.

 

postado em 09/01/2017 | Há 9 meses

MERCADO INTERNO

 

BOLSAS N.Y. E B.M.F.

Sul de Minas

R$ 515,00

R$ 485,00

 

Contrato N.Y.

Fechamento

Variação

Mogiano

R$ 515,00

R$ 485,00

Março/2017

144,20

+1,35

Alta Paulista/Paranaense

R$ 505,00

R$ 475,00

Maio/2017

146,55

+1,40

Cerrado

R$ 520,00

R$ 490,00

Setembro/2017

150,95

+1,45

Bahiano

R$ 515,00

R$ 475,00

 

* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.

Contrato BMF

Fechamento

Variação

Futuro 2017 - 6/7-15%cat

R$ 520,00

R$ 510,00

Março/2017

174,00

+3,00

Futuro 2018 - 6/7-15%cat

R$ 560,00

R$ 550,00

Setembro/2017

180,95

+1,95

Dólar Comercial:

R$ 3,1970

Dezembro/2017

185,75

+1,95

N.Y. finalizou a segunda-feira com alta, a posição março oscilou entre a mínima de -2,10 pontos e máxima de +3,65 fechando com +1,35 pts.

O dólar comercial fechou em queda 0,78%, cotado a R$ 3,1970. No cenário externo, os mercados estão de olho no futuro governo de Donald Trump, que assume a Presidência dos Estados Unidos no próximo dia 20, com promessas de adotar uma política econômica inflacionária. Por isso, os investidores temem que o Fed (Federal Reserve, banco central norte-americano) possa subir os juros mais rápido que o esperado. Com os juros maiores nos EUA, podem ser atraídos para lá recursos atualmente aplicados em economias onde as taxas são maiores, como a brasileira. Com isso, a tendência é o dólar subir por aqui. No cenário interno, nesta semana, o Copom (Comitê de Política Monetária) se reúne para decidir a taxa de juros no Brasil. A expectativa do mercado é de corte de 0,5 ponto percentual na Selic, para 13,25% ao ano.

Conforme indica o boletim da Somar Meteorologia, chuvas frequentes nesta semana nas áreas produtoras por conta de instabilidades tropicais e também à passagem de uma frente fria pela costa entre terça e quarta-feira. São esperadas chuvas entre 30 a 50mm no Paraná e entre 70 e 130mm entre São Paulo e o sul de Minas Gerais. Mesmo com a chuva, a sensação é de tempo abafado. Chuvas ainda frequentes nas áreas produtoras na semana que vem. Por volta de 20 de janeiro, a chuva continua frequente, mas com acumulados mais baixos entre São Paulo e Paraná. Já em Minas Gerais, tendência de pouca chuva neste período. No Espírito Santo, não há previsão de chuva significativa nas próximas semanas. Em Rondônia,a chuva se torna mais frequente e volumosa na segunda quinzena de janeiro.

As exportações globais de café subiram 13,6 por cento em novembro, ante o ano anterior, para um total de 9,94 milhões de sacas de 60 kg, informou a Organização Internacional do Café (OIC) nesta sexta-feira. Nos dois primeiros meses da temporada 2016/17, que começou em 1º de outubro de 2016, as exportações de café registraram alta de 8,5 por cento, a 19,52 milhões de sacas. As exportações de café robusta foram 24,9 por cento mais altas em novembro, ante o ano anterior, a 3,68 milhões de sacas. As exportações acumuladas de robusta para a safra até o momento subiram 10,8 por cento, para 7,05 milhões de sacas. As exportações de café arábica em novembro avançaram 7,9 por cento ante o mesmo mês de 2015, a 6,25 milhões de sacas. As exportações acumuladas de arábica para a safra até o momento subiram 7,3 por cento para 12,48 milhões de sacas. Fonte: Reuters.

O Bureau de Inteligência Competitiva do Café da Universidade Federal de Lavras - UFLA destacou as principais tendências do setor cafeeiro no Relatório Internacional de Tendências do Café de dezembro de 2016. As tendências foram identificadas e analisadas pelo Bureau com foco na produção, indústria e cafeterias durante o ano de 2016 e dão subsídios para formulação de cenários do setor cafeeiro para os próximos anos. Para matéria completa acessem https://goo.gl/XRvCHU . Fonte: Embrapa.
 
 
Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini

 

Veja tambÉm: