Comércio

Educampo Café e Expocaccer inicia projeto inovador na área de irrigação

Em parceria com o Sebrae, propriedades rurais desenvolverão melhorias na aplicação do sistema de irrigação.

 

postado em 19/09/2016 | Há 5 meses

Polliana Dias/ASCOM Expocaccer

Educampo Café e Expocaccer inicia projeto inovador na área de irrigação

Foi iniciado no dia 14 de setembro o Projeto de Irrigação para propriedades rurais do Projeto Educampo Café/Expocaccer. Trata-se de um projeto inovador, cujo foco é realizar um diagnóstico para melhorar o desempenho produtivo dos sistemas de irrigação.
 
Em parceria com o Sebrae, as propriedades receberão consultorias que além de adequar os processos como medida de melhoria na produtividade, também orientarão sobre o uso racional da água e da energia, com foco na redução de custos e no aumento da eficiência na gestão. Com intuito de buscar sempre o desenvolvimento de seus associados, a Expocaccer, em parceria com o Sebrae, irá implementar e coordenar as ações de um projeto piloto pioneiro a nível de Educampo Café. Este projeto piloto tem como objetivo melhorar a eficiência nos sistemas de irrigação em 12 fazendas de café, pertencentes a quatro grupos do Educampo, ligados à Expocaccer. Esta ação será imprescindível para melhorar o desempenho econômico/técnico dos empresários rurais associados à cooperativa, bem como servirá para agregar o conhecimento adquirido através de uma consultoria tecnológica externa”, detalha Glauce de Fernandes, coordenadora estadual do Projeto Educampo Café.
 
As consultorias serão conduzidas pelo professor André Fernandes, doutor em Engenharia Agrícola pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas) e mestre na área de concentração, irrigação e drenagem. Com vasta experiência no assunto, o professor é membro da comissão organizadora da Fenicafé, tradicional evento da área, há 21 anos. Para ele, a iniciativa de um projeto como este é extremamente positiva e inovadora.
 
“Trabalho com irrigação de café há, pelo menos 25 anos, e sempre foi uma demanda dos produtores, principalmente da Região do Cerrado Mineiro, de se ter um diagnóstico, pois existem vários gargalos dentro do sistema de produção irrigado. Na primeira fase, o diagnóstico irá identificar estes gargalos. Na segunda fase serão traçadas soluções visando à melhoria dos processos produtivos, envolvendo a irrigação do café, ou seja, o uso das informações meteorológicas, informações para o manejo da irrigação, caracterização física e hídrica do solo; enfim, tudo que o produtor está usando de tecnologias, apontando o que está correto e o que pode ser melhorado. O foco está na elaboração de um índice que classificará as propriedades de acordo com sua eficiência no uso da água voltado para a produtividade e qualidade do café e o que cada um pode fazer para melhorar sua eficiência”, explica Fernandes.
 
A espera por um projeto neste sentido é confirmada pelo cafeicultor Francisco Pinheiro de Campos. “Esperávamos há muito tempo por um projeto nesta área. Temos uma grande necessidade de conhecer todos os elementos que nos ajudarão a usar o recurso hídrico da melhor maneira e, com isso, somar ao Projeto Educampo na condução da gestão de custos nas nossas propriedades”, finaliza.

 

Veja tambÉm: