Produção

PRODUÇÃO DE CAFÉ ORGÂNICO RECEBE CERTIFICAÇÃO NO PARANÁ

A produção de café orgânico sem o uso de agrotóxicos no assentamento Celso Furtado, em Quedas do Iguaçu, está entre as propriedades que terão o selo de qualidade orgânica.

 

postado em 12/02/2016 | Há 11 meses

A cidade de Quedas do Iguaçu, no Paraná, deverá ter nos próximos dias a entrega de certificação para 21 propriedades agrícolas, que estão habilitadas para produção orgânica. O projeto está sendo desenvolvido pela prefeitura, secretaria de Agricultura e Sebrae. A produção de café orgânico sem o uso de agrotóxicos no assentamento Celso Furtado, em Quedas do Iguaçu, está entre as propriedades que terão o selo de qualidade orgânica.

A nossa reportagem esteve visitando a propriedade do agricultor Josuel Evaristo Gomes, na comunidade 10 de Maio, nesta semana. A visita teve o acompanhamento do secretário de Agricultura, Ladislau Stachelski, o 'Lalau'. O agricultor diz estar há 10 anos assentado, possui 220 pés de café da espécie Conilon 385, em fase de produção.

“Atividade com o café surgiu a partir do momento que tivemos alguns prejuízos com o leite. Na região, até então, ninguém estava trabalhando neste cultivo, que nos levou a preparar e buscar as técnicas necessárias para o cultura”, explica Josuel. Segundo ele, os pés de café estão com idade de dois anos, sendo que são necessários cinco anos para atingir o tamanho ideal e a produção em escala maior. “Acredito que vamos colher 20 sacas neste ano, num preço que pretendemos comercializar em torno de R$ 20 o quilo do produto já na embalagem”, comentou o agricultor. As sacas são de 60 quilos. A ideia é ir colocando o produto em alguns pontos comerciais, hotéis e cafeterias da região. De acordo com o produtor, a margem de lucro de comercialização fica acima de 30%, do café tradicional.

Apoio técnico
Josuel Evaristo parabenizou a iniciativa da secretaria de Agricultura, na certificação de algumas propriedades agrícolas, pelo fato dos produtores não terem os recursos necessários e onde buscar a certificação dos produtos. “É preciso lembrar que só a certificação das propriedades não é o suficiente para nós. Há necessidade da disponibilização de técnicos no acompanhamento do plano de manejo da cultura agrícola”, chama atenção o assentado. Quanto a questão do frio, Josuel explicou que algumas técnicas de barreiras foram implantadas, como o plantio de outras cultivares em meio aos pés de cafés. Outra dificuldade enfrentada pelo agricultor é quanto á utilização de agrotóxicos em plantações de outras lavouras vizinhas, que exige muita atenção e cuidado, para que o veneno não chegue até as plantas trazidas pelo vento. O projeto de produção orgânica conta com apoio do Ministério Desenvolvimento Agrário (MDA) e governo federal.

Prioridades
Falando à reportagem o secretário de Agricultura, Ladislau Stachelski destacou algumas ações da secretaria, como do incentivo da emissão das notas na comercialização de produtos agrícolas pelas famílias de agricultores, este projeto de certificação orgânica que deverá ser estendido para outras propriedades agrícolas e o programa de inseminação para gado de corte e leiteiro. “Desde que assumimos a secretaria adotamos uma linha que todos ajudam todos, dessa forma vamos avançar de forma mais rápida, garantindo uma melhor renda aos produtores. Fortalecendo a economia do município”, reiterou Lalau. Atualmente são 18 inseminadores capacitados distribuídos em diversas comunidades do interior e assentamento.

Fonte: Correio do Povo do Paraná

 

Veja tambÉm: