Tecnologias

Embrapa Café tenta desenvolver plantas mais resistentes em Lavras

07/12/2015

 

postado em 07/12/2015 | Há 2 anos

G1

Pesquisa acontece por mudanças climáticas que afetam a produtividade.
Estudo do DNA também permitiria um crescimento mais rápido do café.

Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Café, em Lavras (MG), estão estudando o DNA de alguns cafeeiros para produzir novas variedades da planta, que devem ser resistentes a algumas doenças e ter um ciclo de crescimento mais rápido.

As variações climáticas que têm acontecido nos últimos anos afetam a produtividade nas lavouras, e por isso, os pesquisadores da Embrapa tentam desenvolver a planta. Segundo o coordenador da pesquisa, Alan Carvalho Andrade, eles utilizam técnicas genômicas para acelerar os programas de melhoramento genético para os cafeicultores.

"[Geralmente] eles demoram muito tempo. E o produtor tem pressa, as mudanças climáticas já são uma realidade, e a gente espera com isso desenvolver materiais superiores para o produtor", explica.

Segundo o coordenador, as pesquisas começam na extração do DNA de mudas do café, e a partir daí, todo o genoma da folha é sequenciado. Com essa análise, é possível prever o comportamento das plantas no campo. "Se elas vão ser mais produtivas, mais tolerantes à seca, tolerantes à ferrugem e ainda ter um café de qualidade, e isso no mais curto espaço de tempo, acelerando as pesquisas", completa Andrade.

  •  
Pesquisadores tentam desenvolver café mais resistente em Lavras, MG (Foto: Reprodução EPTV)Pesquisadores tentam desenvolver café mais resistente em Lavras, MG (Foto: Reprodução EPTV)

O pesquisador explica ainda que eles tentam chegar a uma variedade específica que seja mais resistente e de rápido crescimento. "As pesquisas já estão bem avançadas, nós já estamos na fase de validação no campo e muito em breve essas novas variedades de plantas estarão disponíveis para o produtor”, finaliza.

Veja o vídeo da matéria

 

Veja tambÉm: