Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizou as operações nesta quinta-feira em queda de -0,95 pontos

 

postado em 15/10/2015 | Há 1 ano

Infocafé de 15/10/15.
    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 530,00 R$ 500,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 530,00 R$ 500,00 Dezembro/2015 133,70 -0,95
Alta Paulista/Paranaense R$ 520,00 R$ 490,00 Março/2016 137,10 -0,95
Cerrado R$ 540,00 R$ 510,00 Maio/2016 139,00 -1,05
Bahiano R$ 520,00 R$ 490,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento 
Variação 
Futuro 2016 - 6/7- 15%cat.        R$ 560,00 R$ 540,00 Dezembro/2015 162,65 -1,85
Futuro 2017 - 6/7- 15%cat.        R$ 600,00 R$ 580,00 Março/2016 166,25 +1,20
Dólar Comercial: R$ 3,8010 Setembro/2016 160,25 -1,95

N.Y. finalizou as operações nesta quinta-feira em queda de -0,95 pontos, a posição dezembro oscilou entre a máxima de +1,30 e mínima de -2,40 pts.

O dia foi de sobe e desce, mas o dólar comercial fechou com queda de 0,32%, cotado a R$ 3,8010. Em outubro, o dólar acumula queda de 4,16% e no ano, valorização de 42,95. No cenário nacional pela manhã, a agência de classificação de risco Fitch cortou a nota da dívida do Brasil de "BBB" para "BBB-", mas manteve o país com o selo de bom pagador. Logo após a notícia, o dólar chegou a subir mais de 1%, mas a alta perdeu força ao longo do dia. Na avaliação de analistas, o corte já era esperado. No cenário internacional investidores também olharam com a atenção para a divulgação de dados da economia dos Estados Unidos.

Conforme boletim da Somar Meteorologia uma grande massa de ar quente cobre o cinturão cafeeiro e mantém as temperaturas elevadas. Com a ausência de chuvas, aumenta o stress hídrico, o que preocupa os agricultores, já que estamos com pouca chuva nestes primeiros 15 dias de Outubro. As regiões mais críticas estão concentradas no Cerrado mineiro e parte da zona da Mata. Os modelos de previsão não indicam chuva nos próximos dias e as temperaturas continuam em média entre 4 e 6C acima da média. Uma frente fria avança pelo Oceano entre os dias 20 e 24, mas apenas traz algumas pancadas de chuva para a faixa leste de São Paulo, Rio de Janeiro e pontos muito isolados do sul de Minas Gerais. Somente depois do dia 24 os modelos mostram o retorno da chuva para o cinturão produtor de café.

Aproxima-se mais uma edição do Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras, promovido pela Fundação de Apoio à Tecnologia Cafeeira – Fundação Procafé, uma das instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Este ano o evento será realizado em Poços de Caldas-MG, no Centro de Convenções do Hotel Fazenda Poços de Caldas, de 27 a 30 de outubro. O tema central é "Com mais tecnologia, o melhor café se aprecia". Programação – Entre os destaques da programação está o seminário Uso de imagens de drones na cafeicultura, a ser ministrado no primeiro dia do evento (27/10) pelo pesquisador da Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP) Lúcio André de Castro Jorge. Os drones têm se tornado, cada vez mais, ferramenta fundamental nas lavouras brasileiras. São capazes de fazer imagens com qualidade superior às de um satélite, o que os fazem ser "o olho apurado do agricultor por cima da propriedade". Esses equipamentos possuem softwares que podem, por exemplo, avaliar a qualidade do plantio, acompanhar o desenvolvimento da cultura, mapear deficiência de nitrogênio na cultura, estimar safra, detectar e mapear doenças, pragas e plantas invasoras, além de estimar estresse hídrico. O equipamento, segundo Lucio Jorge, é de fácil uso, mas é preciso que o produtor seja treinado para poder manejá-lo. Além disso, "os drones podem carregar diferentes tipos de câmeras e sistemas e o produtor precisa saber escolher o modelo que melhor o atenda", alerta. Como destaque da programação, haverá ainda mais dois seminários: Situação atual da broca do café, a ser ministrado pelos pesquisadores Julio Cesar Souza, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig, e Sergio Benvenga, da Empresa SGS/Gravena; e 45 anos com a ferrugem do cafeeiro no Brasil, pelos pesquisadores José Braz Matiello e Saulo Almeida, ambos engenheiros agrônomos da Fundação Procafé. O programa do evento prevê também a apresentação oral de 100 trabalhos de pesquisa agrupados em sete temas: pragas do cafeeiro; doenças do cafeeiro; sementes, mudas, plantio, espaçamento e condução; tratos culturais; melhoramento genético; ecologia e fisiologia; e estudos socioeconômicos. Outras atrações para os congressistas são as visitas a estandes de empresas e a mostra de quadros "Café com arte", da artista plástica Valéria Vidigal. Além disso, no último dia de evento, haverá dia de campo na Fazenda Sertãozinho, localizada em Botelhos-MG.
Fonte : Embrapa Café via Centro Comércio Café Minas Gerais


 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini 
 

Veja tambÉm: