Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. registraram nesta segunda-feira, mínima de -7,55 pontos na posição março, fechando com -5,95

 

postado em 23/01/2012 | Há 5 anos

Infocafé de 23/01/12    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 520,00 R$ 480,00  
Contrato N.Y.
Fechamento  
Variação
Mogiano R$ 520,00 R$ 480,00 Março/2012 219,45 -5,95
Alta Paulista/Paranaense R$ 490,00 R$ 460,00    Maio/2012 222,55 -5,95
Cerrado R$ 530,00 R$ 490,00 Setembro/2012 228,05 -5,95
Bahiano R$ 490,00 R$ 460,00     
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento  
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 385,00 R$ 365,00 Março/2012 298,30 -7,00
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 395,00 R$ 385,00    Setembro/2012 287,75 -6,95
Dólar Comercial: R$ 1,7490 Dezembro/2012 290,65 -6,95

As operações na bolsa de mercadorias em N.Y. registraram nesta segunda-feira, mínima de -7,55 pontos na posição março, fechando com -5,95. Mercado interno travado com valores nominais. 

O avanço do euro acima de US$ 1,30 em meio a esperanças renovadas para um desfecho em breve sobre a reestruturação da dívida da Grécia pressionaram a cotação do dólar neste início de semana. Os leilões de bônus de Alemanha e França dentro das expectativas e a melhora do índice de confiança do consumidor na zona do euro ajudaram a impulsionar o euro e outras moedas, como iene, franco suíço e o real. A moeda americana encerrou o dia cotado a R$ 1,7490 queda de 0,57%. 
O ministro das Finanças da França, François Baroin, acompanhado de seu contraparte alemão, Wolfgang Schaeuble, afirmou que um acordo entre investidores do setor privado para reduzir a dívida da Grécia está "tomando forma", mas que Atenas precisa manter suas promessas de reforma para garantir um novo programa de ajuda externa e evitar a bancarrota em março. O ministro francês citou sinais de "certa estabilização" na economia em crise da zona do euro, uma opinião ecoada pelo presidente do banco central alemão, Jens Weidmann, e pelo presidente do BC francês, Christian Noyer, também presente na entrevista. 

A receita média diária obtida com as exportações brasileiras de café foi de US$ 31,962 milhões na terceira semana de janeiro (dias 16 a 22). A média diária acumulada do mês chegou a US$ 27,595 milhões vai representando uma queda de 27,1% na comparação com a média diária de dezembro, de US$ 37,842 milhões.  Com relação a janeiro/11, quando a média diária atingira US$ 28,272 milhões, a receita média de exportações de café de janeiro/12 é 2,4% mais baixa, conforme os dados acumulados até o dia 22.  Os dados partem do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e foram divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).
 
As exportações brasileiras no mês de janeiro, mais especificamente até o dia 20, totalizaram 1.005.405 sacas de café, queda de 30,94% em relação às 1.455.898 sacas embarcadas no mesmo período do mês anterior. De acordo com informações do Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil), 929.631 sacas embarcadas são referentes a café arábica 7.485 sacas de conilon e 68.289 sacas referentes a solúvel. Também até o dia 20, o Cecafé registrou a emissão de 1.473.465 certificados de origem, dos quais 1.319.589 são referentes a arábicas, 19.830 a conillon e 168.289 de solúvel.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini 
 

Veja tambÉm: