Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro encerra as operações de hoje em campo negativo

 

postado em 18/01/2012 | Há 5 anos

Infocafé de 18/01/12    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 520,00 R$ 480,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 520,00 R$ 480,00 Março/2012 224,85 -0,30
Alta Paulista/Paranaense R$ 490,00 R$ 460,00 Maio/2012 227,85 -0,25
Cerrado R$ 530,00 R$ 490,00 Setembro/2012 232,75 -0,25
Bahiano R$ 490,00 R$ 460,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 385,00 R$ 365,00 Março/2012 305,00 -0,90
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 395,00 R$ 385,00 Setembro/2012 291,25 -2,05
Dólar Comercial: R$ 1,7650 Dezembro/2012 293,75 -1,25

O mercado cafeeiro encerra as operações de hoje em campo negativo, em N.Y. a posição março operou entre a máxima de +1,85 e mínima de -2,90 pontos, fechando com -0,30 pts.

O dólar encerrou os trabalhos com queda de 0,68% nesta quarta-feira diante da melhora do mercado externo. Os mercados reagiram à confirmação pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) de que pretende elevar em US$ 500 bilhões sua capacidade de empréstimo para enfrentar a crise da dívida na zona do euro. Mais cedo, fontes informaram a agências de notícias internacionais que o fundo anunciaria um aporte hoje, entre US$ 500 bilhões e US$ 1 trilhão. Além da pretensão do FMI, contribuíram para a queda do dólar os bons indicadores e balanços de bancos norte-americanos divulgados mais cedo, assim como os bem-sucedidos leilões de títulos da Alemanha e de Portugal.

A queda de 38% nas exportações de café da Nicarágua durante os três primeiros meses da temporada 2011/12, na comparação com o mesmo período do ano passado, não se deve a danos sérios na colheita. A afirmação é da executiva de vendas da divisão Nicarágua da Mercon Coffee Corporation, Eva Guerrero. "Foi apenas uma colheita tardia", disse, referindo-se ao amadurecimento atrasado das cerejas de café do país. Segundo ela, muitas vendas já foram feitas mas não foram embarcadas ainda. "Vamos começar a intensificar em janeiro, fevereiro e março", declarou. As regiões produtoras de café do país tiveram algumas perdas em dezembro por causa da falta de mão de obra que resultou na queda e no apodrecimento de cerejas mad uras. Eva acrescentou que as perdas foram mínimas, em torno de 3% da colheita. As informações são da Dow Jones.

As exportações de café arábica lavado da América Latina durante os três primeiros meses da temporada 2011/12 recuaram 0,4% em relação ao ano passado, totalizando 5,41 milhões de sacas, de acordo com a Associação de Café Guatemalteca. Tanto Nicarágua quanto El Salvador registraram declínios expressivos nas exportações, de 38% e 25%, respectivamente, no período de outubro a dezembro ante o mesmo intervalo da temporada anterior. A Nicarágua exportou 111,14 mil sacas, enquanto El Salvador embarcou 134,76 mil sacas. A Colômbia, maior produtor mundial de arábica lavado, observou uma queda de 13% nas exportações, totalizando 2,23 milhões de sacas. Os embarques do Peru e da República Dominicana também caíram.

Honduras e México compensaram parcialmente as vendas do bloco, com aumento de 51% e 52%, respectivamente, para 566,25 mil sacas e 512,03 mil sacas. As exportações da Costa Rica aumentaram 17% e as da Guatemala subiram 13%. Em dezembro, as exportações recuaram 9% no ano, totalizando 2,18 milhões de sacas, com declínios na Colômbia, em El Salvador, na Guatemala, na Nicarágua e na República Dominicana. O ciclo do café começou em outubro e vai até setembro deste ano. As informações são da Dow Jones.

As exportações de café de Uganda em janeiro devem aumentar pelo menos 7% na comparação anual por causa da melhora das entregas da colheita principal, que está em andamento nas regiões leste e central do país, informou nesta quarta-feira a Autoridade de Desenvolvimento de Café de Uganda (UCDA, na sigla em inglês). Os embarques do grão devem aumentar para 230 mil sacas de 60 quilos cada neste mês, ante 215.180 sacas no mesmo período do ano anterior, previu a UCDA em um relatório. A produtividade da safra principal continuará melhorando, beneficiada especialmente por um clima quente, acrescentou a autoridade.
Os dados da UCDA indicam que as exportações de café caíram 1% nos três primeiros meses do ano-safra 2011/12, para 685.765 sacas. A queda marginal é atribuída às fortes chuvas nos dois primeiros meses da temporada, que atrasaram a temporada de comercialização. As partes leste e central de Uganda, que respondem por cerca de 55% da produção total de café do país, foram afetadas nos últimos anos por mudanças nos padrões climáticos. Em 2011, a região sofreu com vários meses de seca, o que reduziu a produtividade da safra na primeira metade da temporada. A colheita do grão deve terminar no próximo mês. A UCDA estima a produção nacional de café em 3,3 milhões de sacas, acima das 3,15 milhões de sacas apuradas em 2010/11. O país exporta quase tudo na forma de grãos. As info rmações são da Dow Jones.


 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: